Agricultura sustentável: Embrapa lança novo bioinseticida Acera

3 de março de 2021 3 mins. de leitura
O produto biológico com ação pesticida combate pragas nas lavouras de soja, milho e algodão

Tendências e Tecnologia

Conheça o mais relevante evento sobre agronegócio do País

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) lançou um novo produto biológico em parceria com a Ballagro Agro Tecnologia, empresa que será responsável pela comercialização do bioinseticida no mercado. 

O Acera – nome comercial do pesticida biológico – conta com uma composição inédita: formada por dois isolados da bactéria Bacillus thuringiensis (Bt), que já é bastante conhecida no meio dos produtos transgênicos e insumos biológicos.

Com a proposta de fortalecer a agricultura sustentável, o bioinseticida tem efeito eficaz no controle de pragas importantes para as commodities brasileiras, como soja, milho e algodão, e pode ser usado para combater lagartas, como a Spodoptera frugiperda (lagarta-do-cartucho) e a Chrysodeixis includens (lagarta falsa-medideira).

Pulverização de pesticida na lavoura.
Pulverização de pesticida na lavoura. (Fonte: Reprodução / Embrapa)

Tecnologia biológica do pesticida Acera

A bactéria Bt presente no bioinseticida Acera produz proteínas que são tóxicas para alguns insetos que são pragas comuns nas lavouras brasileiras. Essa propriedade é aproveitada na formulação de insumos biológicos, que podem substituir os produtos químicos e reduzir os impactos negativos na agricultura.

Esse efeito faz os bioprodutos serem inofensivos para os seres humanos e outros animais, concentrando a ação apenas nos insetos não desejáveis nas lavouras, preservando a presença de inimigos naturais e o equilíbrio do agroecossistema nas áreas agricultáveis.

Enquanto os inseticidas químicos podem gerar impactos negativos ao meio ambiente e aos trabalhadores envolvidos no manejo, os pesticidas e insumos biológicos promovem a sustentabilidade e a segurança alimentar. 

Além disso, esses produtos também ajudam a reduzir os custos de produção por meio da menor necessidade de se realizar aplicações químicas na lavoura, que representam grande parte dos gastos para os produtores rurais.

“A grande vantagem desse produto biológico à base de Bt é que ele não afeta o meio ambiente, não intoxica aplicadores, não mata os inimigos naturais das pragas e não polui rios e nascentes, contribuindo para a sustentabilidade”, ressaltou o pesquisador da Embrapa Fernando Hercos Valicente.

Leia também:

Modo de aplicação do bioinseticida

O modo de aplicação do bioinseticida Acera é bem simples, basta pulverizar o produto sob as folhas da lavoura. Dessa forma, as lagartas serão combatidas ao se alimentarem das folhas com proteínas da bactéria Bt.

“O Acera foi registrado para o controle dessas duas espécies de lagarta [lagarta-do-cartucho e falsa-medideira] e poderá ser usado em culturas como soja, milho, algodão e diversas outras”, complementou Valicente.

De acordo com o pesquisador, o Acera responde a uma necessidade de inovação da Embrapa para aumentar a participação dos insumos biológicos no controle de pragas. O foco da instituição é promover o crescimento, o suprimento de nutrientes, a substituição de antibióticos e a aplicação agroindustrial em sistemas de produção convencional e de base ecológica.

Após o lançamento do pesticida eficiente e sustentável no mercado, os pesquisadores permanecem estudando formas variáveis de tornar o processo de aplicação mais prático e eficaz, como a pulverização do Acera via drones nas lavouras.

Não perca nenhum fato que acontece no agronegócio. Inscreva-se na nossa newsletter.

Fonte: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Gov.

Canal Agro