PL prevê aplicação do Código Florestal ao bioma da Mata Atlântica

3 de junho de 2022 4 mins. de leitura
O autor da proposta defende que o Código Florestal é um marco legal para todos os biomas brasileiros

Conheça o mais relevante evento sobre agronegócio do País

O novo Código Florestal Nacional, regido pela Lei Federal nº 12.651/12, deve ser aplicado também à Mata Atlântica em todo o território nacional, por ser um marco legal para todos os biomas brasileiros. Esse é o teor do Projeto de Lei (PL) nº 311/22, do deputado Darci de Matos (PSD-SC), que tramita na Câmara dos Deputados.

A proposta de alteração tem como principal objetivo reforçar a aplicação das regras ambientais ao bioma que ocupava uma área que abrange 17 Estados e 3,4 mil municípios (quase toda a costa do Brasil). Por conta das atividades humanas na região, apenas 29% da cobertura original está preservada, segundo o Ministério do Meio Ambiente (MMA).

A Mata Atlântica é uma floresta prioritária para a conservação mundial. Cerca de 20 mil espécies vegetais vivem nesse bioma, um número superior ao registrado na América do Norte ou na Europa. Além disso, o ecossistema abriga quase 2 mil espécies de animais, entre aves, anfíbios, répteis, mamíferos e peixes.

O que diz o novo Código Florestal?

Mata Atlântica ocupava quase todo o litoral brasileiro. (Fonte: Shutterstock)
Mata Atlântica ocupava quase todo o litoral brasileiro. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)

O Código Florestal, conhecido oficialmente como Lei de Proteção da Vegetação Nativa, estabelece regras para a proteção de áreas nativas e para a exploração florestal em imóveis rurais privados, uma área de 300 milhões de hectares que corresponde a um terço do território nacional, segundo o portal MapBiomas.

A legislação promoveu inovações como a criação do Cadastro Ambiental Rural (CAR) e a previsão de implantação do Programa de Regularização Ambiental (PRA), ferramentas que permitem acompanhar ações para recuperar as áreas ambientais. Cada propriedade rural tem regras diferenciadas para a manutenção da reserva legal.

O código também prevê a adoção de tecnologias e boas práticas que equilibram a produção agropecuária e a floresta com práticas de desenvolvimento sustentável. De acordo com a lei, os produtores rurais podem ser incentivados por meio do pagamento de serviços que contribuem para a conservação ambiental.

Leia também:

Segurança jurídica para a Mata Atlântica

Mais de 90% do território de Santa Catarina está inserido dentro do bioma da Mata Atlântica. (Fonte: Shutterstock)
Mais de 90% do território de Santa Catarina faz parte do bioma da Mata Atlântica. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)

Apesar de ser o marco legal para a preservação de vegetação nativa, o Código Florestal tem gerado um conflito interpretativo por causa da Lei nº 11.428/06 (Lei da Mata Atlântica). Algumas liminares têm considerado que a legislação específica oferece mais proteção ao bioma e, por isso, desconsideram a regra mais abrangente.

O problema é que muitos Estados, como Santa Catarina, têm boa parte de seu território dentro desse ecossistema. As ações judiciais, dessa forma, impedem o uso de áreas agriculturáveis, e o tema está em discussão no Supremo Tribunal Federal (STF).

O PL pretende acabar com essa discussão, estipulando que o Código Florestal tem prevalência sobre a Lei da Mata Atlântica, oferecendo maior segurança jurídica ao agronegócio. “A proposta não autoriza supressão de mata, apenas viabiliza que se utilize os espaços ocupados atualmente para seguir produzindo”, declarou o autor da proposta.

Como está a tramitação do PL?

O PL nº 311/22 tramita em caráter conclusivo pelas comissões da Câmara de Deputados. Isso significa que, se não houver divergência nas discussões ou no requerimento dos parlamentares, a matéria pode ser aprovada rapidamente, pois dispensa a votação durante uma sessão plenária.

A proposta está sendo debatida no âmbito da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (CMADS) e depois deve seguir para a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC). Caso seja aprovada, vai direto para o Senado e depois para a sanção presidencial.

Quer saber mais? Conheça a opinião de nossos parceiros especialistas sobre os principais temas do agronegócio.

Fonte: Câmara de Deputados, Ministério do Meio Ambiente (MMA), MapBiomas, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc)

Este conteúdo foi útil para você?

186970cookie-checkPL prevê aplicação do Código Florestal ao bioma da Mata Atlântica

Canal Agro