Plantas medicinais: como consumir de forma segura?

25 de maio de 2022 4 mins. de leitura
O consumo deve ser realizado sob a orientação de um profissional da área da Saúde

Conheça o mais relevante evento sobre agronegócio do País

A utilização de plantas medicinais sem a devida orientação médica pode gerar sérios riscos à saúde. Ervas usadas como “chás emagrecedores”, por exemplo, podem ser tóxicas ao fígado e são proibidas no Brasil.

Apesar de serem naturais, as substâncias presentes nas plantas medicinais podem causar alterações na pressão arterial e problemas no sistema nervoso, no fígado e nos rins, segundo alerta a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), responsável por regular medicamentos no Brasil.

O órgão reforça que os vegetais podem sofrer influências do local em que cresceram, como terra, fertilizantes, pragas, pesticidas e fungos. As ervas ainda podem ser contaminadas pela água e durante as etapas de secagem e armazenamento.

O que são plantas medicinais?

(Fonte: Shutterstock)
Nem todas as plantas têm poder medicinal. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)

As plantas medicinais são vegetais que podem aliviar ou curar doenças, e o uso de ervas para tratar problemas de saúde é uma tradição popular no Brasil. Raizeiros, curandeiros e benzedores são comuns em comunidades, especialmente rurais.

Ao longo do tempo, no entanto, estudos científicos conseguiram comprovar a eficácia da utilização de substâncias para o tratamento de saúde. Muitas ervas, inclusive, foram incluídas em programas do Sistema Único de Saúde (SUS). Ainda assim, diante da biodiversidade e do amplo uso, o conhecimento não abrange todo o universo de ervas existentes.

As plantas medicinais podem ser utilizadas para a fabricação de medicamentos naturais, conhecidos como fitoterápicos, produtos que são controlados pelos órgãos de fiscalização que atestam a eficácia e a segurança do tratamento de certas doenças. Essas substâncias devem ser consumidas sob orientação médica, pois também oferecem riscos à saúde.

Leia também:

Conheça o mercado de ervas medicinais no Brasil

Horta comunitária: projeto de lei quer incentivar a prática

Como fazer o manejo da plantação de couve?

Quais são as plantas medicinais que posso consumir?

Babosa (Fonte: Shutterstock)
A babosa é amplamente utilizada pela indústria farmacêutica e cosmética, mas pode ser aplicada de forma natural. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)

Existe um grande número de plantas medicinais que podem ser consumidas com segurança. Algumas autoridades de saúde realizaram levantamentos com ervas presentes em cada região, com instruções de preparo, uso e contraindicações. Contudo, é importante observar o nome científico de cada vegetal, pois os nomes populares podem variar muito.

A babosa (Aloe vera), por exemplo, é indicada para a cicatrização de queimaduras, lesões na pele, queda de cabelo e acne. Para tanto, deve-se aplicar diretamente no local ferido o sumo fresco da folha lavada. A planta é contraindicada para gestantes, lactantes, durante a menstruação e para pessoas com varizes, problemas renais, apendicite e disenterias.

O chá de infusão da espinheira-santa (Maytenus ilicifolia) pode prevenir úlceras e tratar problemas gástricos e digestivos, mas não deve ser consumido por menores de 6 anos de idade e até o terceiro mês de gestação.

Já o chá de boldo (Gymnanthemum amygdalinum) ajuda a reduzir gases intestinais, distúrbios do fígado e do estômago. A planta, entretanto, é contraindicada para grávidas, lactantes, crianças com menos de 6 anos e pessoas com problemas nos rins ou que fazem uso constante de anticoagulantes.

Quais são as plantas medicinais para cultivo?

Uma horta medicinal pode ser cultivada em qualquer lugar com acesso a água abundante e de boa qualidade. A relação de plantas medicinais é bastante extensa, mas inclui:

  • alecrim;
  • camomila;
  • carqueja;
  • capim-limão;
  • erva-cidreira;
  • erva-doce;
  • hortelã;
  • manjericão.

Para escolher quais vegetais cultivar, é interessante verificar quais são as doenças mais comuns no local e que espécies são indicadas para tratamentos com comprovação científica. Os métodos para plantio são variados, podendo ser utilizados canteiros ou vasos, a depender das características do espaço.

Assim como qualquer cultivo, é essencial preparar o solo adequadamente, estar atento a questões como exposição ao sol e época certa para o plantio, além de controlar a incidência de pragas e doenças. É importante também conhecer as técnicas apropriadas para colheita e secagem, para garantir a qualidade das plantas medicinais.

Quer saber mais? Assista aqui à opinião e explicação dos nossos parceiros especialistas em agronegócio.

Fonte: Governo de São Paulo, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Ministério da Saúde.

Este conteúdo foi útil para você?

184110cookie-checkPlantas medicinais: como consumir de forma segura?

Canal Agro