Como o clima deve afetar o agronegócio em novembro

11 de novembro de 2020 3 mins. de leitura
Centro do País deve receber chuvas acima da média histórica em novembro, mas regiões Sul e Nordeste podem enfrentar clima seco que coloca em risco a safra

A previsão meteorológica para novembro está trazendo alívio para agricultores que iniciaram o plantio da safra de verão no centro do Brasil. Depois de um calor atípico e um período de estiagem durante setembro e outubro, “rios voadores” devem levar umidade do Norte para o Sudeste, provocando chuvas acima da média no interior do País.

O Summit Agro será online e gratuito. Inscreva-se agora.

Em contrapartida, produtores das regiões Sul e Nordeste devem se preparar para um período mais seco nas próximas semanas. Ainda que ocorram temporais no Paraná, em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, a quantidade de chuvas no mês deve ficar abaixo da média histórica. Nos estados nordestinos, a umidade do mar continuará provocando precipitações no litoral, mas que não devem chegar ao interior, como é comum nesse período do ano.

La Niña

La Niña provoca excesso de chuvas em algumas regiões e clima seco em outras. (Fonte: Shutterstock)
La Niña provoca excesso de chuvas em algumas regiões e clima seco em outras. (Fonte: Shutterstock)

As águas do Oceano Pacífico na Linha do Equador leste tiveram temperaturas registradas abaixo da média no começo de setembro, o que caracteriza a formação do fenômeno oceânico-atmosférico conhecido como La Niña, que modifica o padrão de chuvas e temperatura em todo o planeta. De acordo com a Agência de Administração Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (Noaa), o registro atual deve ser um dos mais fortes dos últimos 20 anos, semelhante aos de 2007 e 2010.

No Brasil, La Niña torna mais fácil a formação de canais que levam a umidade do Norte para as regiões Sudeste e Centro-Oeste, provocando precipitações mais frequentes ao passar por essas áreas e aumento de chuvas no Nordeste. No sul do País, pode reduzir a umidade, provocando períodos de estiagem.

Impacto nas lavouras

Agronegócio no centro do País comemora previsão climática de novembro. (Fonte: Shutterstock)

Sojicultores de Tocantins, Goiás, Mato Grosso e oeste e sul da Bahia devem ser beneficiados com tempo mais úmido, que provocará volumes de chuva acima da média durante novembro, favorecendo o desenvolvimento das plantações. Já produtores de soja dos estados do Sul do Brasil e do Mato Grosso do Sul poderão enfrentar problemas no desenvolvimento da lavoura recém-plantada. Ainda que haja previsão de chuva, a expectativa é que as precipitações totais fiquem abaixo da média histórica no mês.

No Sudeste, boa parte de Minas Gerais, do Rio de Janeiro e do Espírito Santo tem previsão de chuvas acima da média no período, mas a estiagem deve afetar as primeiras floradas de café no oeste de Minas Gerais e em São Paulo.

Quer saber mais sobre como o clima deve influenciar as safras? Então se inscreva no Summit Agro, evento que reúne, entre 23 e 25 de novembro, os maiores especialistas do setor no País. Acompanhe o evento, que será online e gratuito.

Fonte: Revista Globo Rural, Canal Rural.