Conheça o evento

Embrapa lança nova forrageira que fixa nitrogênio no solo

Cultivar desenvolvida em parceria com a UFRGS se adapta melhor ao clima brasileiro e é mais resistente

Embrapa lança nova forrageira que fixa nitrogênio no solo
08/04/2020 • 3 min. de leitura

O trevo-vermelho é uma das espécies mais utilizadas para forragens no sul do Brasil; de origem europeia, a planta se adaptou bem ao clima e ao solo da região. A fim de aumentar suas vantagens e impulsionar a produtividade das fazendas, pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) criaram uma versão superior da planta.

Entre outros benefícios, a cultivar URS BRS Mesclador do trevo-vermelho sofre menos no verão e oferece boa produção durante o ano inteiro, além de diminuir a necessidade de adubação nitrogenada, uma vez que ela mesma ajuda a fixar essa substância no solo.

O trevo vermelho é bastante utilizado em forragens no sul do Brasil
(Fonte: Wikimedia Commons)

Características da forrageira URS BRS Mesclador

"Basicamente, a cultivar tem três características: persistência, produção de forragem e de semente", afirmou o professor da UFRGS, Miguel Dall'Agnol, para o site da Embrapa. As qualidade citadas pelo pesquisador trazem mudanças substanciais para a produção do trevo-vermelho no País.

A começar pela persistência, esse atributo resolve um problema constante do trevo-vermelho no Brasil: a sensibilidade às altas temperaturas. Mesmo que o sul apresente um clima mais ameno que o restante do País, os verões geralmente são quentes demais para a planta. Considerando que é uma espécie perene e deveria sobreviver durante todo o ciclo, o calor é um problema frequente para os produtores.

A URS BRS Mesclador foi desenvolvida para se adaptar melhor a essas condições, podendo ser plantada até mesmo em outras regiões, nas quais deve sobreviver muito bem até o início da primavera, de acordo com os pesquisadores. A melhor adaptação da nova cultivar ao clima brasileiro também permite produção constante ao longo de todo o ciclo. Em especial quando a URS BRS Mesclador é consorciada com gramíneas de inverno comuns em pastagens, como aveia ou azevém, a qualidade da produção se torna ainda maior.

Novo cultivar de trevo-vermelho URS BRS Mesclador
(Fonte: Embrapa)

A combinação dessas espécies também é interessante porque a aveia e o azevém são sazonais, com produtividade que oscila durante o ciclo, enquanto o trevo-vermelho é perene. Sendo assim, o consórcio é garantia de boas forragens durante o ano inteiro para os produtores do Sul.

Também vale destacar que a URS BRS Mesclador tem boa produção de sementes, o que aumenta seu apelo comercial e é extremamente importante para a fase de formação das pastagens.

Fixação de nitrogênio e menor necessidade de adubo

Outra característica importante da nova cultivar de trevo-vermelho é a fixação de nitrogênio no solo. Isso acontece porque bactérias do gênero Rhizobium vivem em simbiose com a planta, fixando o nitrogênio atmosférico na terra.

Leia também: Dres: importância do método de diagnóstico rápido do solo

Com o tempo, a necessidade de adubação nitrogenada na pastagem diminui, fazendo com que os custos para o produtor também caiam drasticamente. O consórcio com as gramíneas de inverno potencializa essa característica, sendo mais uma vantagem da combinação das plantas.

Por fim, é interessante observar que o trevo-vermelho, com a aveia ou o azevém, produz uma pastagem de qualidade, com boa digestibilidade e alto valor nutritivo, principalmente em proteínas.

Se interessou pelo assunto? Aprenda mais com especialistas da área no Summit Agro. Enquanto isso, acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fonte: Embrapa