Tecnologia no campo: aplicativo faz classificação do solo em tempo real

Aplicativo desenvolvido pela Embrapa Solos e pela Embrapa Informática Agropecuária informa ao produtor a classificação do solo da propriedade

Tecnologia no campo: aplicativo faz classificação do solo em tempo real
17/02/2020 • 2 min. de leitura

A classificação de um solo é essencial na agricultura, para que o produtor apure informações sobre seu manejo e uso adequado. E essa atividade agora terá auxílio da tecnologia. Trata-se de um aplicativo que fornece aos produtores rurais a categorização de cada porção de terreno da propriedade. Com isso, torna-se mais ágil — e em tempo real — a obtenção das informações necessárias para que seja identificado o melhor tratamento e destinação de acordo com o tipo de solo. O aplicativo será disponibilizado ainda no primeiro semestre de 2020.

A classificação da terra, além de estar diretamente ligada ao crescimento das plantas, é importante para ajudar na definição de áreas que precisam de aterro sanitário ou que servirão para a construção de acessos e estradas, por exemplo.

A tecnologia recebeu o nome de SmartSolos e é um projeto da Embrapa Solos e da Embrapa Informática Agropecuária. Os esforços foram combinados a fim de integrar tecnologia da informação e conhecimento científico em prol de inovações na agricultura.

(Fonte: Pixabay)

Como funciona o aplicativo de classificação do solo

A classificação do solo por meio de smartphones e tablets usa como base o Sistema Brasileiro de Classificação de Solos (SiBCS) — o Brasil é o único país que tem seu próprio sistema de categorização. Na prática, o app faz a correlação de classes de solo do SiBCS com outros sistemas, como Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e World Reference Base (WRB).

Para utilizá-lo, o produtor deve criar uma conta e fazer uma descrição da propriedade e das condições gerais, com dados e fotos. Não é preciso inserir informações geográficas, pois essa função é realizada pelo próprio sistema, que já fornece uma classificação aproximada. O cadastro tem uma segunda etapa, na qual são necessários dados mais detalhados, como características físicas e químicas da porção de terra. Estima-se que em pouco tempo esse passo também seja automático.

Tão logo os resultados são liberados pelo laboratório, o produtor recebe uma notificação com a classificação do solo de sua fazenda.

(Fonte: Pixabay)

O app é composto de diversas interfaces, de modo que pode ser usado por um público diversificado: produtores, pesquisadores, professores, estudantes etc. A expectativa é que o SmartSolos tenha outras funcionalidades além da classificação de solos, sendo uma marca da Embrapa Solos que reúna vários outros aplicativos relacionados a melhorias na produção agrícola.

Sua evolução prevê que:

  • os resultados de análises laboratoriais sejam enviados de forma automática ao aplicativo;
  • as informações enviadas ao aplicativo possam ser usadas para atualizar bancos de dados para pesquisas científicas ou a biblioteca de solos, conhecida como Soloteca;
  • o aplicativo seja capaz de adaptar as informações também a tecnologias como realidade virtual, Big Data, impressão 3D etc.

O SmartSolos chega para preencher um gargalo em tecnologias de apoio ao trabalho com a terra, pois, apesar de haver muitos aplicativos voltados a serviços importantes para a agricultura, nesse segmento específico ainda há poucas ofertas.

Se interessou pelo assunto? Aprenda mais com especialistas da área no Summit Agro. Enquanto isso, acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fontes: GrupoCultivar