Surto de gripe aviária atinge Coreia do Sul

24 de dezembro de 2020 3 mins. de leitura
A Organização Mundial de Saúde Animal relata que a Coreia do Sul confirmou um surto de gripe aviária H5N8 altamente patogênica em uma fazenda de patos

Comércio exterior

Novos surtos de gripe aviária estão sendo relatados pelo mundo, o que coloca avicultores e autoridades públicas de saúde em alerta. Depois do Japão e vários países europeus, a doença foi identificada na Coreia do Sul.

A cepa H5N8 foi encontrada em uma fazenda de patos sul-coreana, fato que foi relatado pelas autoridades sanitárias do País à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). Para impedir o avanço da patologia, 392 mil galinhas e mais patos de cinco fazendas foram abatidos de forma preventiva.

Outro surto foi identificado em uma fazenda de ovos, o que levou ao abate de 188 mil galinhas e 180 mil codornas em duas propriedades. Além disso, 251 mil frangos em um raio de três quilômetros da fazenda infectada deverão ser mortos como medida preventiva. As autoridades investigam se há relação entre os dois casos.

Novos casos pelo mundo

Confirmação de casos leva ao abate preventivo de milhares de aves criadas em granjas. (Fonte: Shutterstock)
Confirmação de casos leva ao abate preventivo de milhares de aves criadas em granjas. (Fonte: Shutterstock)

De acordo com um relatório do Centro Europeu para Prevenção e Controle de Doenças (ECDC), desde outubro vários países europeus, incluindo Bélgica, Dinamarca, França, Alemanha, Irlanda, Holanda, Suécia e Reino Unido, já relataram surtos de vírus da influenza aviária patogênica. A doença também foi identificada no Japão, em Israel e no Cazaquistão.

Isso levou alguns países a tomar medidas diferentes, um exemplo é o Reino Unido, que declarou uma Zona de Prevenção da Gripe Aviária (AIPZ). As medidas exigem que todos os criadores de aves mantenham seus animais em áreas protegidas com medidas de biossegurança estritas a fim de limitar a propagação e erradicar a doença.

Diversos países, como a Rússia e os Emirados Árabes, impuseram restrições para a importação de aves vivas domésticas e selvagens, bem como pintos, ovos para incubação e os seus subprodutos que tenham origem no Reino Unido e em outras regiões, como Holanda e Alemanha.

Gripe Aviária

Aves migratórias, como patos selvagens, são apontados como causadores dos surtos de gripe aviária. (Fonte: Shutterstock)
Aves migratórias, como patos selvagens, são apontados como causadores dos surtos de gripe aviária. (Fonte: Shutterstock)

Todas as aves são consideradas suscetíveis à infecção por gripe aviária, embora algumas espécies sejam mais resistentes que as outras. A gripe aviária de alta patogenicidade se caracteriza por um início súbito de sintomas graves e morte rápida, com taxa de mortalidade próxima a 100%.

A transmissão entre diferentes espécies de aves acontece por contatos diretos ou indiretos de aves domésticas com aves aquáticas migratórias, como patos selvagens, que são mais resistentes às infecções e têm sido a principal causa das epidemias. A exposição direta a aves infectadas ou a suas fezes pode resultar na infecção humana.

A doença pode se espalhar facilmente de uma granja para outra, tanto pelo ar quanto por equipamentos contaminados, veículos, forragem, viveiros ou roupas. O vírus também pode ser transportado pelos pés e corpos de animais, como roedores, que atuam como “vetores mecânicos” na propagação da doença.

Já conhece o Estadão Summit Agro? Saiba o que rolou na última edição do evento

Fonte: Strait Times, Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Notícias Agrícolas, Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), Forbes, Governo do Reino Unido, Agência de Notícias dos Emirados Árabes.

Canal Agro