Plantio de soja atinge 70% da área prevista e supera média anual

16 de novembro de 2020 4 mins. de leitura
A safra de soja 2020/21 deve ser plantada em 38,9 milhões de hectares no Brasil, um crescimento de 3,6% com relação ao ano anterior

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) do Brasil deverá ter uma alta de 13,14% em 2020 em comparação ao ano anterior. O faturamento do agronegócio brasileiro deve alcançar um valor de R$ 848,6 bilhões, de acordo com estimativas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) com base nos preços agrícolas pagos ao produtor e das exportações em outubro.

Depois de setembro com uma forte onda de calor e estiagem, outubro trouxe de volta as chuvas para várias áreas produtoras de soja. A semeadura safra 2020/21 foi adiada na maioria das regiões, mas ganhou velocidade em novembro. 

O atraso das chuvas foi recuperado pelos produtores. Segundo o último levantamento realizado no dia 12 de novembro pela AgRural, o plantio alcançou 70% acima da média dos últimos cinco anos, que era de 69%. Devem ser plantados 38,9 milhões dos hectares nesta safra, que deve gerar 132,2 milhões de toneladas do grão, com base na linha de tendência de produtividade.

Ainda assim, os volumes seguem abaixo do ideal nas três maiores regiões produtoras. Em Mato Grosso, no Paraná e no Rio Grande do Sul, a falta de umidade vem prejudicando a germinação desde o início do plantio. Pelo menos 300 mil hectares já foram replantados no Brasil.

Avanço do plantio

Melhoria da umidade ajudou o Mato Grosso avançar no plantio da safra 2020/21 de soja. (Fonte: Shutterstock)
Melhoria da umidade ajudou o Mato Grosso avançar no plantio da safra 2020/21 de soja. (Fonte: Shutterstock)

Apesar das chuvas irregulares, algumas cidades como Sorriso (MT) já conseguiram plantar 100% de sua lavoura prevista. O Mato Grosso é o maior estado produtor e também o que mais avançou na semeadura. No dia 13 de novembro, o estado já tinha plantado 94,2% de sua safra soja, de acordo com dados do Instituto Mato-Grossense de Economia Aplicada (Inea).

O ritmo está sendo um pouco menor do que a safra passada. No mesmo dia de 2020, o índice estava em 96,9% no estado. Ainda assim, o plantio da safra nesse estado está acima da média dos últimos cinco anos, que é de 91,8%.

O segundo estado com maior índice de semeadura de soja no período é o Mato Grosso do Sul ( com 90%). Em terceiro está o Paraná, com 84% do plantio dos 5,558 milhões de hectares previstos pelo Departamento de Economia Rural paranaense (Deral). O ritmo está mais lento em relação ao mesmo período do ano passado, quando atingia 89% da área.

Estados com menor semeadura

Os estados que menos plantaram até este momento foram São Paulo (30%), Rio Grande do Sul (32%) e Bahia (40%), segundo levantamento da Safras & Mercado.

No Rio Grande do Sul, de acordo com a Emater-RS, até agora o plantio já ocupou 31% da área de 6 milhões de hectares, previstos para serem implantados nesta temporada 2020/2021 frente a 29% no mesmo de 2019. Mesmo com o tempo mais seco, a umidade ainda presente no solo favoreceu o avanço de 17% da semana anterior para os atuais 31%.

Problemas na germinação

Replantio pode ser necessário em algumas áreas devido a problemas de germinação por estresse hídrico. (Fonte: Shutterstock)
Replantio pode ser necessário em algumas áreas devido a problemas de germinação por estresse hídrico. (Fonte: Shutterstock)

Em todo o Brasil, as precipitações têm-se mostrado irregulares em algumas áreas específicas. Com isso, será importante avaliar a necessidade de ressemeadura em áreas que não tiveram germinação adequada por falta de chuvas. Isso pode aumentar custos com sementes, trabalho de plantio e combustíveis, mas não deve afetar, de modo geral, a safra com um viés de baixa.

Participe do debate sobre evolução do agronegócio brasileiro. É online e gratuito. Inscreva-se agora!

Fonte: Notícias Agrícolas, Canal Rural, AG Rural.