Laranja e trigo têm o preço mínimo reajustado pelo governo

13 de abril de 2021 3 mins. de leitura
O reajuste faz parte da Política de Garantia de Preços Mínimos e busca proteger produtores

Notícias do campo

Saiba de tudo que acontece no mundo do agronegócio. Mostramos as novidades da agricultura e pecuária brasileiras e no mundo, como a previsão do tempo vai afetar a produção, safras e consumo. Confira também, no Estadão Summit Agro, a cotação do café, soja, milho, boi gordo e muito mais.

Conheça o mais relevante evento sobre agronegócio do País

O governo brasileiro fez um reajuste no preço mínimo da laranja e do trigo. A mudança faz parte do projeto Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM), que tenta proteger os produtores agrícolas, diminuindo oscilações na renda e assegurando uma remuneração mínima em determinados produtos. 

A decisão foi discutida em uma reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN) que aconteceu na segunda semana de março. O resultado está presente na Portaria nº 47 e foi publicado no Diário Oficial da União na quarta-feira (11) pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

A fruta cítrica in natura teve um aumento considerável do preço mínimo para a temporada atual. (Fonte: Shutterstock/Prada Brown/Reprodução)
A fruta cítrica in natura teve um aumento considerável do preço mínimo para a temporada atual. (Fonte: Shutterstock/Prada Brown/Reprodução)

Definição para as laranjas

A fruta sofreu uma alteração no preço mínimo in natura em todo território nacional, e o valor da caixa de 40,8 quilogramas subiu 14,36%. Portanto, o preço passou de R$ 15,53 para R$ 17,76 durante a safra 2020/2021. A nova precificação entra em vigor de julho de 2021 e vai até julho de 2022.

O aumento tenta equilibrar a situação dos produtores da fruta, que estão precisando lidar com a maior quebra de safra da história. A principal causa foi uma estiagem que atingiu as plantações do Sul e Sudeste do Brasil.

Leia também:

A mudança no trigo

No cereal, os novos valores atingem o grão e a semente, e o preço mínimo da unidade de semente varia de acordo com cada região. No Sul, Sudeste e Centro-Oeste, ele subiu 11,04%, passando de R$ 1,78 para R$ 1,98 na safra 2020/2021. 

Já o trigo em grãos terá preços mínimos diferentes para cada região do País, mas com a mesma alta, de 11,04%. A mudança afeta os tipos 1, 2 e 3 e vale também de julho de 2021 a junho de 2022. 

Para conferir todas as alterações e todos os valores por região, confira a tabela divulgada pelo governo federal. 

Todas as mudanças de preço mínimo propostas pela PGPM. (Fonte: Governo Federal/Reprodução)
Todas as mudanças de preço mínimo propostas pela PGPM. (Fonte: governo federal/Reprodução)

O que é a Política de Garantia de Preços Mínimos?

A PGPM é definida pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) como uma importante ferramenta para garantir os preços mínimos para os produtores rurais. Segundo o site da Conab, a política atua como “balizadora da oferta de alimentos, incentivando ou desestimulando a produção e garantindo a regularidade do abastecimento nacional”.

Para o preço mínimo funcionar e ajudar os produtores, é preciso que ele esteja acima do preço de equilíbrio do mercado, já que busca gerar um lucro mínimo para os cultivadores. 

Não perca nem um fato que acontece no agronegócio. Inscreva-se em nossa newsletter.

Fonte: Paraná Portal, Conab. 

Este conteúdo foi útil para você?

140090cookie-checkLaranja e trigo têm o preço mínimo reajustado pelo governo

Canal Agro