Açúcar terá maior déficit global desde safra 15/16, diz consultoria

18 de fevereiro de 2021 3 mins. de leitura
Com projeções de redução de produção e de demanda firme, a previsão de déficit global de açúcar foi elevada para 3,3 milhões de toneladas na safra 2020/21

Notícias do campo

Conheça o mais relevante evento sobre agronegócio do País

A consultoria StoneX elevou a previsão de déficit no mercado global de açúcar para 3,3 milhões de toneladas na safra 2020/21. Caso seja confirmado, o resultado será o pior desde a temporada 2015/16, que inaugurou uma sequência de saldos negativos, quebrada apenas pela temporada 2017/18.

Na projeção anterior da consultoria, divulgada em outubro, o déficit mundial do produto seria de 2,2 milhões de toneladas. A elevação da previsão negativa foi provocada pela perspectiva de menor potencial produtivo de regiões importantes, como Tailândia, União Europeia e Rússia, que tiveram quebra de safras.

Enquanto isso, a demanda pelo adoçante continuará firme no mercado asiático, em especial no Paquistão, na Indonésia e na China. Os chineses, por exemplo, devem aumentar o volume de exportações para 3,9 milhões de toneladas de açúcar, um resultado 140 mil toneladas maior que em 2019/20, de acordo com dados da Rede de Informações Agrícolas da China (Casde).

Cálculo do déficit

Déficit depende do consumo de açúcar durante a pandemia. (Fonte: Shutterstock/Anna Tryhub/Reprodução)
Déficit depende do consumo de açúcar durante a pandemia. (Fonte: Shutterstock/Anna Tryhub/Reprodução)

A consultoria calcula que serão produzidas 183,6 milhões de toneladas de açúcar na atual safra, o que representa uma redução de 200 mil toneladas comparado à colheita de outubro do ano passado. Entretanto, o resultado é 0,3% maior do que o registrado em 2019/20.

Por outro lado, o consumo do adoçante deve ser de 186,9 milhões de toneladas, alta de 0,7% em relação à safra anterior e aumento de 900 mil toneladas em comparação à previsão anterior da StoneX.

“As projeções sinalizam retomada da economia global, cenário que, caso confirmado, tende a conferir suporte à procura pela commodity — tal como evidenciado pela própria estrutura do mercado”, avalia a consultoria em nota divulgada à imprensa. Porém, a confirmação da tendência depende da evolução da pandemia da covid-19.

Veja também:

Safra 2019/20

A StoneX também reduziu a expectativa de déficit para a safra 2019/20, que era de 2,6 milhões de toneladas, para 2,5 milhões de toneladas. Com isso, os estoques finais de 2020/21 passaram a ser estimados em 74 milhões de toneladas. A relação de estoque/uso está prevista em 39,6%, a menor desde a temporada 2016/17 e 2,1 pontos percentuais abaixo de 2019/20.

Açúcar brasileiro

Usinas brasileiras devem moer 590 milhões de toneladas de cana e 45,2% serão destinadas à produção de açúcar. (Fonte: Shutterstock/Mr. Kosal/Reprodução)
Usinas brasileiras devem moer 590 milhões de toneladas de cana e 45,2% serão destinadas à produção de açúcar. (Fonte: Shutterstock/Mr. Kosal/Reprodução)

No Brasil, a safra 2021/22 de açúcar deve somar 35,5 milhões de toneladas, superior aos 34,6 milhões vistos em outubro no Centro-Sul brasileiro, o maior polo produtor do País. O resultado, porém, significa uma queda de 7,3% comparado à safra atual.

A StoneX elevou a previsão de mix de cana-de-açúcar para fabricação do adoçante para 45,2% ante a projeção anterior de 44,5%, mas abaixo dos 45,9% de 2020/21. Assim, a produção de etanol da cana deve ser de 26,6 bilhões de litros, o que significaria uma queda de 4,9% comparada à safra atual. Já a expectativa de moagem nas usinas ficou inalterada em 590 milhões de toneladas, uma diminuição de 2,6% em relação ao ciclo atual.

Fonte: Reuters.

O que achou?
+1
1
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0

Canal Agro