Como é o cultivo de cana-de-açúcar no Brasil do século XXI?

9 de abril de 2020 3 mins. de leitura
A produção de cana-de-açúcar compõe um dos mais importantes setores da economia nacional, com São Paulo e os estados do Nordeste entre os maiores produtores do País

Há mais de 500 anos, a produção de cana-de-açúcar é uma das atividades que mais movimentam a economia do Brasil, levando o País a se tornar o maior produtor da planta no mundo — seja para exportação, seja para produção de álcool ou açúcar, ela é essencial para o agronegócio nacional. Segundo o Instituto de Tecnologia Canavieira (ITC), o setor representa, sozinho, 2% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional.

Séculos após a instalação dos primeiros engenhos, o modo, os locais de plantio e as tecnologias avançaram, permitindo um impulso nos números das colheitas. Segunda a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) até 15 de dezembro do ano passado, o Centro-Sul tinha processado 577,37 milhões de toneladas de cana referentes à safra 2018/2019.

Onde está a cana-de-açúcar no Brasil?

A produção acontece de forma regionalizada: de setembro a março, nas regiões norte e nordeste, e de abril a novembro, na região centro-sul. Dessa forma, os processos de plantio e colheita são praticamente contínuos no Brasil.

São Paulo representa cerca de 50% de toda a produção de açúcar e etanol do País. Em segundo lugar está Minas Gerais, com 11,3% do total produzido, seguido por Goiás, com 11,1%. O estado paulista tem área plantada de 5,6 milhões de hectares, de acordo com dados de 2016 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

(Fonte: Pexels)

As usinas de cana-de-açúcar têm grande concentração na chamada Zona da Mata, no nordeste, abrangendo em maior quantidade os estados do Rio Grande do Norte, da Paraíba, de Pernambuco e Alagoas; na região sudeste, o destaque é para São Paulo. Geralmente, as áreas de cultivo ficam próximas às usinas, em um raio de 25 quilômetros, facilitando questões de custos e transporte.

Outros estados brasileiros também se dedicam à produção de cana, entre eles Paraná, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Amazonas, Piauí, Pará, Maranhão e Tocantins.

Matéria-prima

Em açúcar, etanol, levedura, energia, a cana está em diversos produtos do cotidiano. Desde 2003, com o advento dos carros flex, o álcool combustível passou a desempenhar um papel importante tanto na vida dos produtores como na rotina dos demais cidadãos. As melhores destilarias conseguem produzir cerca de 85 litros de etanol anidro por tonelada da planta, e as usinas entregam aproximadamente 71 quilos de açúcar e 42 litros de etanol para cada tonelada processada.

São Paulo tem 172 usinas instaladas, sendo o maior produtor mundial de etanol de cana-de-açúcar. Na safra 2017/2018, foram gerados 13 bilhões de litros nas usinas paulistas, o que corresponde a 47,14% da produção em todo o País. O estado também se destaca na produção de açúcar; em 2016, foram processados 24,3 milhões de toneladas nas usinas paulistas, correspondente a 14% do total fabricado no mundo.

(Fonte: Pexels)

Se interessou pelo assunto? Aprenda mais com especialistas da área no Summit Agro. Enquanto isso, acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fonte: Ceisebr, Jornal da cana

Gostou? Compartilhe!