A chuva vai aumentar o preço dos alimentos em 2022?

10 de fevereiro de 2022 3 mins. de leitura
Os eventos climáticos dos últimos anos devem continuar tendo impacto no preço de alimentos como o feijão, frango e carne bovina em 2022

Conheça o mais relevante evento sobre agronegócio do País

O preço dos alimentos têm aumentado cada vez mais nos últimos anos. Somente do começo da pandemia para cá, a soma da inflação já chega aos 21,4% e a tendência para este ano é de que os preços não parem de aumentar.

Esse cenário acontece por conta de diversas circunstâncias, como o aumento da exportação e eventos climáticos que impactam o País, como fortes tempestades ou meses de seca.

Conheça o mais relevante evento sobre agronegócio do País

Como o clima vai impactar os preços dos alimentos em 2022?

Diversas questões climáticas, como a seca no Sul do País e o excesso de chuvas em partes do Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste, causaram prejuízos para a produção agropecuária. Essas perdas foram responsáveis pelo aumento de 12,54% nos preços dos alimentos no Brasil em 2021. 

O cenário para 2022 não é muito diferente, já que os efeitos do fenômeno La Ninã seguirão ocasionando fortes chuvas no Norte e Nordeste do País, e estiagem no Sul. 

Para tentar conter os preços, as autoridades monetárias podem até elevar os juros, mas essa ação não conseguirá controlar as perdas, responsáveis pela diminuição da oferta e o aumento dos valores no mercado. 

Leia também:

Safra 2021/2022: quais são as perspectivas para as commodities brasileiras?

Feijão e arroz: como fica o preço dos alimentos na safra 21/22?

Previsão do tempo: quais são as projeções para o clima em 2022?

Confira, a seguir, os alimentos que mais serão afetados.

Grupos de alimentos que deverão subir em 2022

Milho e soja:

A falta de chuva impactou o plantio e o desenvolvimento das plantas, gerando perdas para diversos produtores do Sul do Centro-Oeste brasileiro. Esse cenário já causou o aumento no valor dos produtos em 2021 e deve seguir provocando alta neste ano. 

Frango:

O preço da carne tem chamado atenção dos consumidores há um bom tempo, e em 2022 não deve melhorar. A escassez de chuva aumentou os custos de produção do setor, que deve repassar os valores para os consumidores nos próximos meses. 

Feijão:

O valor do feijão poderá ser afetado tanto pela seca nas lavouras do Paraná, quanto pelo aumento das chuvas que geraram perdas em Minas Gerais e na Bahia. Esses eventos acarretam aumento no valor da saca no atacado, que deve ter reflexos no varejo. 

Carne bovina:

O valor da carne bovina disparou em 2020 e seguiu em alta em 2021. A expectativa para 2022 é de que os criadores não repassem os aumentos causados pela seca para o consumidor final, já que o varejo não consegue mais absorver as altas nos preços.

Gostou de saber como o clima deve afetar o preço dos alimentos em 2022? Então leia mais sobre os efeitos da estiagem no agronegócio e sobre as projeções do Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio para este ano.

Fonte: FDR.

Este conteúdo foi útil para você?

171820cookie-checkA chuva vai aumentar o preço dos alimentos em 2022?

Canal Agro