Coronavírus: Ministério da Agricultura abre canal de dúvidas

Pasta do governo e CNA respondem a perguntas sobre panorama do agronegócio brasileiro via WhatsApp durante a pandemia

Coronavírus: Ministério da Agricultura abre canal de dúvidas
11/05/2020 • 3 min. de leitura

As mudanças na rotina do agronegócio brasileiro geradas pelos efeitos da pandemia do novo coronavírus vêm causando dúvidas em produtores e consumidores do País. Tendo isso em mente, o Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) abriu um canal de comunicação pelo aplicativo WhatsApp, no qual as pessoas podem ter suas dúvidas sanadas.

No fim de março, a pasta do governo registrou mais de 500 mensagens em um único dia. Além do Mapa, a Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) vem registrando grande quantidade de questionamentos sobre o impacto do coronavírus no agronegócio. De acordo com a entidade, a maioria das questões aborda temáticas como índices de exportação, cuidados com a saúde do produtor e dinâmicas de logística.

Separamos algumas das respostas para as principais perguntas que chegaram aos canais de comunicação da CNA e do Mapa nos últimos dias.

Quais cuidados sanitários vêm sendo tomados?

(Fonte: Pixabay)
(Fonte: Pixabay)

O Decreto n. 10.282 do governo federal garantiu aos feirantes e pequenos produtores a continuidade das operações durante a crise do novo coronavírus, mas com a seguinte cláusula: cuidados redobrados com a higienização.

As perdas geradas na agricultura familiar pela pandemia foram pauta para a Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, que cogitou a criação de incentivos para que os produtores pudessem manter a saúde financeira no período de crise. Com as novas medidas de higienização, os pequenos produtores podem dar continuidade a suas operações e evitar maiores perdas para os próximos meses.

A decisão conjunta entre Mapa, Ministério da Economia e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concedeu aos agricultores familiares a permissão para continuarem as vendas em feiras livres e no mercado varejista desde que sigam uma lista com 19 recomendações. O destaque fica para a necessidade da disponibilização de álcool 70 e ambientes de higienização pessoal para consumidores e vendedores, além da frequente limpeza de superfícies, ambientes e veículos de transporte de alimentos.

No setor pecuário, o Mapa e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) oferecem uma série de recomendações para manter o controle sanitário em bovinos e garantir a qualidade do produto para o consumidor.

Como anda o abastecimento nacional?

(Fonte: Pixabay)
(Fonte: Pixabay)

A pandemia de coronavírus fez com que diversos países da América do Sul fechassem fronteiras rodoviárias para turistas e transporte regular. Com a interrupção do fluxo nas vias, a Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, convocou uma videoconferência com representantes de países vizinhos para decidir como dar prosseguimento aos processos de abastecimento.

Ao fim do encontro virtual, ficou acordado entre os ministros de Brasil, Argentina, Chile, Paraguai, Uruguai, Peru e Bolívia que o transporte de cargas nas rodoviárias sul-americanas continuaria operando de maneira regular para não criar uma crise de abastecimento nos países e manter as economias locais girando.

Quais são as perspectivas para o futuro das exportações?

(Fonte: Pixabay)
(Fonte: Pixabay)

Apesar de entrar no segundo trimestre do ano com previsão de deficit primário de R$ 419,2 bilhões para os cofres nacionais em 2020, o mercado brasileiro de exportação mantém o otimismo durante o período de crise. O Mapa, em comunicado oficial, fez questão de tranquilizar os cidadãos ao dizer que não enxerga perspectivas de queda nas exportações do País.

Se interessou pelo assunto? Aprenda mais com especialistas da área no Summit Agro. Enquanto isso, acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fonte: Governo Federal, Summit Agro e Agência do Rádio.