Custo de produção do frango continua subindo e bate novo recorde

10 de junho de 2020 4 mins. de leitura
O custo para a produção do frango acumula alta de 25% em 12 meses

Quer impulsionar seus negócios? Se inscreva no Summit Agronegócio, evento que reúne os maiores especialistas em agro do País.

***

Os custos de produção de frangos de corte calculados pela Central de Inteligência de Aves e Suínos (Cias) da Embrapa tiveram, mais uma vez, uma forte alta mensal. Em abril, produzir frango ficou 6,58% mais caro em relação a março, o que representa um novo recorde de alta.

A produção de um quilograma de frango registrou o custo de R$ 3,40/kg em abril. O valor superou os recordes anteriores de junho de 2016, quando ficou em R$ 3,13/kg, e de março de 2020, que tinha alcançado R$ 3,19/kg.

Nos últimos 12 meses, os custos subiram cerca de 25%, com um aumento mais acelerado nos primeiros meses de 2020. De janeiro a abril deste ano, a variação registrada foi de quase 14%, enquanto que o aumento entre abril e dezembro do ano passado foi menor que 10%.

ICPFrango

(Fonte: Embrapa/Reprodução)
Alta do custo de produção do frango foi acelerada no início de 2020. (Fonte: Embrapa/Reprodução)

O Índice do Custo de Produção de Frango da Embrapa (ICPFrango) chegou aos 263,02 pontos em abril, o maior valor nominal desde que foi criado. O índice começou a subir de forma acentuada em março deste ano.

Ao longo de 2019, o ICPFrango registrou uma alta histórica de 6% e fechou 231,14 pontos. Em janeiro, o índice alcançou 233,05 pontos, passando para 237,3 em fevereiro. Em março, o ICPFrango saltou para 247,2 pontos.

Os índices de custos de produção foram criados em 2011 pela equipe de socioeconomia da Embrapa “Suínos e Aves” e a Conab. Santa Catarina e Paraná são usados como estados-referência nos cálculos por serem os maiores produtores nacionais de suínos e frangos de corte, respectivamente.

Causa para o aumento de custos da produção do frango

O aumento com os gastos de nutrição animal foi o principal responsável pela alta do custo da produção do frango. (Fonte: Shutterstock)

A principal causa da alta foram os gastos com a nutrição dos animais, fator responsável por 71% da composição do custo de produção da ave. Os preços da ração subiram 4,75% em abril, acumulando uma alta de 11,49% em 2020, e 18,47% nos últimos 12 meses.

O valor do filhote de um dia, responsável por 14% da composição dos custos, deixou de ser manter estável, como vinha acontecendo ao longo dos primeiros meses deste ano. Os gastos com filhotes registraram um leve aumento de 1,62% em abril.

O custo de outros itens, como mão de obra, transporte e energia elétrica, não tiveram baixa nem alta no mês de abril, portanto não afetaram o custo global para a produção de frangos.

Como calcular os custos de produção

(Fonte: Embrapa/Reprodução)
Aplicativo da Embrapa ajuda o produtor a calcular os custos de produção do frango e a fazer a gestão da granja pelo celular ou computador. (Fonte: Embrapa/Reprodução)

A Embrapa oferece ferramentas úteis para ajudar na gestão da granja, com as informações sobre o custo de produção, a elaboração de relatórios e o impacto da prestação de financiamento.

O aplicativo Custo Fácil – Produtor Integrado, disponível gratuitamente para celulares Android, pode ser instalado tanto no celular quanto no computador. O app é indicado para o acompanhamento de contratos de parceria e de comodato para os sistemas de produção de suínos em creche e terminação, produção de leitões e frango de corte.

O órgão também disponibiliza uma planilha eletrônica para produtores de suínos e de frango de corte, que compara a receita obtida com os custos de produção e acompanha a geração de caixa da granja. A ferramenta ainda analisa os resultados e apresenta a estimativa da Taxa Interna de Retorno (TIR) do investimento.

Quer ficar por dentro das novidades sobre exportações no agronegócio? O Summit Agronegócio reúne especialistas e autoridades para discutir os temas mais relevantes do setor, como impacto do aumento do dólar e da pandemia nos preços, demandas e expectativas, além de selos necessários. Faça parte da evolução do agro e participe do evento mais completo do setor. Para saber mais, é só clicar aqui!

Fonte: Embrapa.