BiomaPhos: conheça o inoculante com tecnologia nacional

29 de setembro de 2020 4 mins. de leitura
Nacional e biológico, o inoculante BiomaPhos é pioneiro na solubilização de fósforo para as plantas

Quer impulsionar seus negócios? Se inscreva no Summit Agronegócio, evento que reúne os maiores especialistas em agro do País.

***

Uma parceria entre a Embrapa e a empresa Bioma resultou no primeiro produto com tecnologia brasileira focado na disponibilização de fósforo para as plantas, o BiomaPhos. Uma união de conhecimento técnico e recursos entre poder público e privado como essa, impacta diretamente na produtividade e na qualidade das lavouras nacionais, além de reduzir a dependência do País da importação de produtos fosfatados que encarecem a produção agrícola.

Denominado como BiomaPhos, o inoculante biológico é produzido a partir de duas bactérias que foram identificadas pela Embrapa, uma encontrada no milho e outra no solo. A presença dessas bactérias ajuda a melhorar a absorção de fósforo pelas plantas, reduzindo a necessidade de fertilização ao longo do ciclo produtivo.

Como o produto funciona

(Fonte: Shutterstock)

Com ação biológica, o inoculante BiomaPhos é uma solução sustentável que melhora o desempenho e a nutrição da lavoura sem ser por meio de fertilizantes fosfatados — que, na maioria dos casos, precisam ser importados e encarecem os custos para os produtores rurais.

De acordo com a pesquisadora da área de Microbiologia do Solo da Embrapa Christiane Paiva, “as cepas das bactérias Bacillus subtilis (CNPMS B2084) e Bacillus megaterium (CNPMS B119) conseguem fazer com que maior quantidade de fósforo seja absorvida pelas raízes, recebendo em troca compostos fundamentais para o crescimento bacteriano, como fontes de carbono, em especial açúcares e ácidos orgânicos”.

O inoculante sustentável BiomaPhos apresenta forma líquida, podendo ser usado no tratamento de sementes ou então aplicado diretamente nos sulcos de plantio via jato dirigido. Ao estarem presentes no início da formação das raízes, as bactérias presentes no bioinsumo se multiplicam e colonizam a rizosfera da planta.

E é exatamente nesse ambiente que elas atuam quimicamente, iniciando um processo de solubilização do fósforo que está retido ao cálcio, alumínio e ferro presentes no solo, fazendo com que ele se torne disponível para a absorção e assimilação pela planta.

Aumento de produtividade registrado com o uso do BiomaPhos

Muda de planta e teste BiomaPhos
(Fonte: Shutterstock)

Para testar a eficiência do produto antes de introduzi-lo no mercado, a Embrapa e a Bioma realizaram uma testagem em 542 propriedades rurais do Brasil quem cultivam grãos, como milho e soja. Como resultado, os testes registraram um aumento médio de 10% na produção de grãos – o que pode corresponder a um ganho médio de até dez sacas por hectare.

Christiane Paiva explica que os “experimentos avaliaram a inoculação combinada com a adubação reduzida de superfosfato triplo, o que pode diminuir o gasto para o produtor com fertilizantes sintéticos”. Além disso, a pesquisadora afirma que outro grande diferencial do uso do inoculante BiomaPhos é a redução significativa no índice de emissão de CO2 na atmosfera.

“Com isso, os resultados demonstram que é possível empregar uma tecnologia limpa e de baixo custo, contribuindo para a sustentabilidade na agricultura, sem perdas para o meio ambiente”, ela finalizou.

Quer ficar por dentro das novidades tecnológicas no agronegócio? O Summit Agronegócio reúne especialistas e autoridades para discutir os temas mais relevantes do setor, como drones, GPS, uso de softwares e tecnologias para sustentabilidade. Faça parte da evolução do agro e participe do evento mais completo do setor. Para saber mais, é só clicar aqui!

Fonte: Bioma e Grupo Cultivar.

Gostou? Compartilhe!