Conheça o evento

Queimadas na Austrália favorecem exportação de carne brasileira

Muitas cabeças de gado foram perdidas no incêndio, então a solução para os australianos pode ser a carne brasileira

Queimadas na Austrália favorecem exportação de carne brasileira
27/02/2020 • 2 min. de leitura

Os incêndios que atingiram a Austrália no fim de 2019 e começo de 2020 causaram grandes danos ao país. Uma das frentes que mais sofreu foi a pecuária, com a perda de, aproximadamente, cem mil cabeças de gado. A tragédia, entretanto, pode favorecer a exportação de carne bovina brasileira para China, Indonésia, Estados Unidos e Japão.

Segundo estimativas da Federação Nacional de Fazendeiros, que foi divulgada pela imprensa local, uma área de 6,3 milhões de hectares foi queimada desde setembro de 2019. Mas o país da Oceania já vinha perdendo a competitividade no mercado de carnes de corte desde o começo do ano passado, por conta de uma grande seca.

(Fonte: Seed Khan/AFP)

Após o desastre, as atenções dos fazendeiros e das autoridades estão em recuperar os estragos e tentar estimar o tamanho real das perdas. Dessa maneira, a Austrália se afasta um pouco do mercado de exportação de carne.

A carne brasileira na China

Por consequência dessa situação, a relação entre o Brasil e a China deve ficar ainda melhor. A importação de carne suína nacional já é um destaque após os casos de peste suína africana que atingiram o país asiático, a África e a Polônia. Mas a carne bovina também é benquista na China. Hong Kong foi o principal destino desse produto no ano passado, tendo comprado, de acordo com a Secretaria de Comércio Exterior (Secex), 45,31% das exportações do Brasil.

(Fonte: Pexels)

A exportação de carne de boi brasileira deve receber uma impulsão em 2020, pois o país asiático, em 2019, foi o que mais importou carne de gado da Oceania. Segundo a Associação de Carne e Pecuária da Austrália, a China comprou mais de 300 mil toneladas do produto australiano no ano passado.

Exportação de carne Halal para a Indonésia

A Indonésia é um mercado importante para a exportação de carne Halal e perdeu um grande fornecedor com as queimadas na Austrália, que era o principal fornecedor, responsável por cerca de 40% do total importado pelos indonésios. Esse é um papel que o Brasil poderia exercer.

A religião indonésia é predominante muçulmana, e os praticantes só se alimentam de gado caso o criador tenha seguido as regras do Halal. Entre as particularidades se destaca uma forma específica de abate, que deve ser feito por meio de um corte que atinja jugular, traqueia e esôfago do animal.

Novas aberturas para a carne brasileira

Além da China e da Indonésia, outros importantes clientes da carne de corte australiana podem voltar suas atenções para o Brasil, como Estados Unidos e Japão, e o País tem tratativas para a negociação da abertura de mercado com ambas as nações. A demanda para suprir o espaço deixado pela Austrália nesses mercados pode acelerar o processo de exportação da carne bovina brasileira para essas localidades.

Se interessou pelo assunto? Aprenda mais com especialistas da área no Summit Agro. Enquanto isso, acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fontes:  Portal DBO; Giro do Boi