Mulheres no agro: conheça as lideranças femininas da área

3 de maio de 2022 3 mins. de leitura
Saiba mais do cenário das mulheres no agro e conheça alguns nomes importantes da área

Conheça o mais relevante evento sobre agronegócio do País

Cada vez mais as mulheres têm ocupado espaço em diversas áreas e, no agronegócio, não poderia ser de outra forma. Apesar de ainda ser um ambiente predominantemente masculino, as mulheres no agro têm feito a diferença.

Dados indicam que a presença feminina ainda é pequena, mas está crescendo (Fonte: Freepik/Reprodução)
Dados indicam que a presença feminina ainda é pequena, mas está crescendo. (Fonte: Freepik/Divulgação)

Dados da Organização das Nações Unidas (ONU) indicam que, no Brasil, 27% dos cargos de liderança são ocupados por mulheres. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no agronegócio a relação de liderança é um pouco menor: uma mulher para cada nove homens.

Outro levantamento, feito pela Fran6, mostra que 57% das mulheres no agro participam de grupos e associações do setor, algo que representa a união e o engajamento feminino.

Leia também:

Lideranças femininas no agronegócio

Cada vez mais mulheres têm estado à frente do agronegócio (Freepik/Divulgação)
Cada vez mais mulheres têm estado à frente do agronegócio. (Fonte: Freepik/Divulgação)

Segundo levantamento do IBGE, a liderança feminina corresponde a 19%. Já na agropecuária, as mulheres são responsáveis pela produção de 30 milhões de hectares, algo em torno de 8,5% de toda área ocupada por sítios e fazendas. O número pode parecer baixo, mas já representa um crescimento de 6% em 11 anos.

A seguir, conheça seis histórias de mulheres no agro.

Teresa Vendramini

A diretora-executiva da Sociedade Rural Brasileira (SRB) é responsável por estruturar todo o departamento de pecuária da organização. Teresa Vendramini também lidera encontros com mulheres no agro em todas as regiões do Brasil, promovendo intercâmbio com universidades.

Adriane Lermen Zart

Médica-veterinária e mestre em Ciência Animal, Adriane é uma das principais difusoras da técnica Nada nas Mãos, que promove bem-estar animal aos bois, e está mudando o cenário das fazendas de gado no Brasil.

Aureliana Rodrigues Luz

Presidente da Organização das Cooperativas do Brasil — Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (OCB-Sescoop), Luz foi a primeira mulher a ocupar esse cargo no Estado do Maranhão. Entre os seus principais feitos está a criação de duas cooperativas.

Micheli Bresolin Jacoby

Com apenas 31 anos, Jacoby assumiu a presidência da Cooperativa Mista de Agricultores Familiares de Itati, Terra de Areia e Três Forquilhas (Coomafitt). Ela é a pessoa mais jovem a ocupar o cargo da organização, que reúne 223 famílias produtoras de 6,4 mil toneladas de 88 variedades de alimentos.

Fernanda Hoe

Médica-veterinária e mestre em Ciência Animal, Hoe deixou a diretoria de marketing da farmacêutica animal Elanco para assumir a diretoria-geral da empresa no Brasil. Ela é a primeira mulher a ocupar essa posição de liderança em uma multinacional de saúde animal em toda a América Latina.

Elisabeth Cardoso

A agrônoma é coordenadora do Grupo de Trabalho de Mulheres da Articulação Nacional de Agroecologia (ANA) e um dos principais nomes na luta contra a desigualdade de gênero na agricultura familiar.

Fonte: Embrapa.

Este conteúdo foi útil para você?

179070cookie-checkMulheres no agro: conheça as lideranças femininas da área

Canal Agro