Mercado futuro da carne de boi se recupera

10 de fevereiro de 2021 3 mins. de leitura
De acordo com relatório do Itaú BBA, curva futura do boi tem reação positiva, e preços de 2021 devem superar os de 2020

Conheça o mais relevante evento sobre agronegócio do País

O preço do boi gordo no ano de 2020 superou em 40% os valores praticados em 2019, fechando o mês de dezembro a R$ 17/kg. Após o Natal, a carne bovina apresentou uma melhora nos preços, atingindo um valor próximo ao pico histórico de R$ 19/kg.

A partir dessa movimentação, o mercado futuro da carne de boi seguiu se recuperando com perspectivas positivas para o ano de 2021, mesmo em meio aos impactos causados pela segunda onda da pandemia de coronavírus. Para o mês de maio deste ano, por exemplo, o mercado futuro prevê preços bem maiores do que os registrados no mesmo mês em 2020.

O preço futuro inicial do boi gordo para maio de 2021 foi de R$ R$ 267,4, uma alta de 32,9% em comparação ao valor registrado em maio de 2020, que foi de R$ 201,2 por arroba. 

Especialistas estimam oscilações positivas para o mercado futuro da carne de boi. (Fonte: Shutterstock / Reprodução)
Especialistas estimam oscilações positivas para o mercado futuro da carne de boi. (Fonte: Shutterstock / Reprodução)

Pilares para a recuperação do mercado futuro da carne de boi

De acordo com o relatório do Itaú BBA, os dois principais pilares para a recuperação do mercado futuro da carne bovina em 2021 deverão ser a oferta limitada do boi gordo e a alta taxa de exportação dessa proteína para o mercado chinês. 

Em contrapartida, o fim do auxílio emergencial deve retrair a demanda da população brasileira pela carne de boi, fazendo os consumidores priorizarem outros alimentos ou proteínas mais acessíveis, como a carne de frango ou a suína. 

A inflação e os preços elevados dos alimentos no mercado poderão alterar novamente o comportamento dos consumidores que estavam retomando o seu poder de compra – principalmente diante da segunda onda da pandemia no país e da retomada da quarentena com o fechamento do comércio e o aumento do desemprego em várias regiões.

Nesse cenário, o escoamento de produção de carne bovina deverá ser direcionado para as exportações, o que também interfere no preço praticado no mercado interno. 

Segundo os especialistas do Itaú BBA, “para os pecuaristas que terão gado para abater nos próximos meses, a oportunidade de fixar o resultado e garantir a ‘curva corrigida’ está na mesa. Mesmo que o mercado possa evoluir mais, os preços nas telas atuais são historicamente interessantes e justificam proteções”.

De acordo com os números da B3, o contrato futuro de janeiro de 2021 fechou a R$ 280 por arroba, demonstrando uma valorização de 0,90% na comparação diária. Para o mercado futuro de maio de 2021, um dos contratos-chave, já foram registrados aumentos significativos – o último valor fechado foi de R$ 274,50 por arroba, com uma alta diária de 0,77%.

Já conhece o Estadão Summit Agro? Saiba o que rolou na última edição do evento

Fonte: Radar Agro, Farm News.

Este conteúdo foi útil para você?

133320cookie-checkMercado futuro da carne de boi se recupera

Canal Agro