Formas de o agronegócio sofrer menos o impacto do aumento da conta de luz

11 de janeiro de 2021 4 mins. de leitura
Com a tarifa da conta de luz subindo, produtores precisam achar formas de economizar

O uso de energia é essencial no agronegócio, que encontra nas tecnologias uma elevação de produtividade e de lucratividade. Com o crescimento das tarifas sobre a conta de luz, produtores precisam se adaptar para sofrer menos o impacto no orçamento.

Rendimento do agronegócio

No complicado 2020, o agronegócio foi a principal potência brasileira no mercado exterior, respondendo por aproximadamente US$ 16 bilhões dos cerca de US$ 52 bilhões em vendas internacionais entre fevereiro e abril deste ano. 

Esses números apontam crescimento de 24% na lucratividade em alguns dos principais produtos do agronegócio nacional: soja e derivados de carne. A perspectiva é que a evolução não pare por aí. O Plano Decenal de Expansão de Energia 2019-2029 (PDE), da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), prevê crescimento de desempenho do agronegócio em 2,9% ao ano até 2029, além de participação que chegue a 5,8% no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.

Agronegócio é umas das principais forças econômicas do Brasil. (Fonte: Shutterstock)
Agronegócio é umas das principais forças econômicas do Brasil. (Fonte: Shutterstock)

Alto uso de energia elétrica

Tal crescimento é condicionado ao uso de energia no campo. O Relatório “Energy, Agriculture and Climate Change”, feito pela Organização das Nações Unidas pela Alimentação e Agricultura (FAO), revelou que o agronegócio é o responsável pelo consumo de cerca de 30% da energia mundial. A tendência é de aumento desse número, já que a perspectiva é de crescimento populacional e, portanto, de maior produção de alimentos.

Tendo em vista esse cenário, o aumento da conta de luz e outros problemas do abastecimento convencional, como apagões e crises hídricas, podem somar custos aos produtores, diminuir a quantidade de produtos disponíveis e gerar alta ainda maior no preço dos alimentos. 

Energias sustentáveis podem ser a resposta

Alternativas ao sistema tradicional de abastecimento podem ser a saída para as fazendas economizarem na conta de luz. O uso de energia solar fotovoltaica, energia hídrica, biomassa e biogás obtido na decomposição de matéria orgânica são respostas não apenas para o combate ao aquecimento global e à poluição, mas também uma forma de investir em algo que diminua o impacto no bolso do produtor. 

Isso porque o uso de fontes renováveis pode aumentar a produtividade e, sendo um investimento de médio prazo, substituir as opções não sustentáveis. Por conta disso, o uso dessas fontes tem capacidade de gerar maior competitividade para o negócio.

  Painéis fotovoltaicos são responsáveis por absorver a luz solar que é transformada em energia. (Fonte: Shutterstock)
  Painéis fotovoltaicos são responsáveis por absorver a luz solar que é transformada em energia. (Fonte: Shutterstock)

Sistema de gestão de energia

As energias sustentáveis são uma ótima saída em um processo de médio e de longo prazos, porém, para conseguir sobreviver em períodos emergenciais e inesperados, é importante estar sempre em dia com o sistema de gestão de energia. 

Essa prática funciona por meio de uma solução tecnológica que dá ao produtor monitoramento e relatórios de forma ininterrupta, automatizada e em tempo real dos gastos. Assim, não se faz necessário um acompanhamento ou a intervenção de um profissional.

Combinação de energia sustentável e bom sistema de gestão pode ser a melhor resposta para produtores. (Fonte: Shutterstock)
Combinação de energia sustentável e bom sistema de gestão pode ser a melhor resposta para produtores. (Fonte: Shutterstock)

Com dados e informações precisas, produtores podem alinhar a necessidade de subsídios e escolher a alternativa mais certeira para manter o abastecimento de energia na produção agrícola e agropecuária.

Conheça o maior e mais relevante evento de Agro do Brasil

Fonte: Além da Energia, Portal do Agronegócio.

Canal Agro