Entrega de fertilizantes ao mercado cresce em comparação a 2019, com destaque para o NPK

25 de julho de 2020 4 mins. de leitura
Até fevereiro, 5,572 milhões de toneladas de fertilizantes foram comercializados, com alta de 11,5% em relação ao mesmo período de 2019
Quer impulsionar seus negócios? Se inscreva no Summit Agronegócio, evento que reúne os maiores especialistas em agro do País. *** Fertilizantes, também conhecidos como adubos, são aditivos importantes para a agricultura e podem ser orgânicos ou sintéticos, aplicados no solo ou em tecidos vegetais (geralmente folhas) para prover um ou mais nutrientes ao crescimento das plantas. De acordo com a Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda), o Brasil está crescendo de forma expressiva na entrega desses compostos ao consumidor final. Segundo estudos da entidade, esse crescimento foi constante nos últimos anos: em 2018, foram entregues 35,5 milhões de toneladas para o mercado; no ano seguinte, esse valor aumentou para 36,2 milhões, em crescimento de 2,1%. Ainda de acordo com a Anda, 2020 deve ter um aumento ainda maior. Até o fim de fevereiro, o consumidor final já havia recebido 5,572 milhões de toneladas de adubo, um aumento de 11,5% quando comparado ao mesmo período do ano passado, quando foram entregues 4,997 milhões de toneladas na mesma época. Esse crescimento representa uma tendência importante do mercado, que deve permanecer assim ao longo do ano. Vale ressaltar que a Anda entrega macroindicadores com pelo menos quatro meses de atraso, por isso os dados mais recentes apenas informam as entregas de fertilizantes ao mercado até fevereiro.

Crescimento nas exportações e fertilizantes NPK

De acordo com relatório da Anda, o aumento mais expressivo foi na entrega dos fertilizantes NPK para o consumidor final. (Fonte: Shutterstock)fertilizante em produção
De acordo com relatório da Anda, o aumento mais expressivo foi na entrega dos fertilizantes NPK para o consumidor final. (Fonte: Shutterstock)
O dado que mais chama atenção na última pesquisa setorial da Anda tem relação com as principais exportações de fertilizantes e formulações NPK (adubo de nitrogênio, fósforo e potássio). Até fevereiro de 2019, os índices apontavam 21,673 milhões de toneladas do produto. Para o mesmo período de 2020, o número já chegava a 74,363 milhões de toneladas, em aumento de 243,1%. Somente em fevereiro, o mercado produziu e entregou 29,764 milhões de toneladas de fertilizantes NPK, em crescimento de 265,7% quando comparado ao mesmo mês do ano passado. De acordo com um relatório da ReportLinker que analisa o comportamento do mercado após o início da crise de covid-19, os maiores fatores para esse movimento são o aumento na confiança no adubo e o crescimento da demanda por alimentação animal. Os fertilizantes NPK são importantes para a agricultura. A sigla faz referência a três macronutrientes das plantas. O nitrogênio (N) atua na parte verde, como as folhas, sendo um componente principal das proteínas vegetais, sem o qual não é possível realizar a fotossíntese e a respiração. O fósforo (P) ajuda principalmente na floração e maturação dos frutos e das raízes. Já o potássio (K) é essencial para o equilíbrio hídrico. O estudo da Anda também indica que o Mato Grosso é o líder nas entregas ao mercado, concentrando o maior volume para o período de janeiro e fevereiro (28,3%), atingindo 1,577 mil toneladas de adubo. O ranking segue com Goiás (746 mil toneladas), Minas Gerais (658 mil toneladas), Paraná (589 mil toneladas) e São Paulo (566 mil toneladas). Quer ficar por dentro das novidades tecnológicas no agronegócio? O Summit Agronegócio reúne especialistas e autoridades para discutir os temas mais relevantes do setor, como drones, GPS, uso de softwares e tecnologias para sustentabilidade. Faça parte da evolução do agro e participe do evento mais completo do setor. Para saber mais, é só clicar aqui! Fonte: Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda) e ReporterLinker.
Gostou? Compartilhe!