Fertilizante 100% orgânico é alternativa para falta de insumos

4 de agosto de 2022 4 mins. de leitura
Fertilizante produzido com alga marinha oferece mais de 70 nutrientes com alta solubilidade

Conheça o mais relevante evento sobre agronegócio do País

Um fertilizante produzido a partir de algas marinhas se mostrou eficaz para a nutrição das principais culturas do agronegócio. A matéria-prima proporciona um complexo biomineral 100% orgânico, rico em cálcio e magnésio, além de mais 70 nutrientes, em uma composição de alta solubilidade e fácil absorção pelos vegetais.

O produto, desenvolvido nacionalmente, é uma alternativa para a dependência da agricultura brasileira na importação dos insumos. Quase 90% das 46 milhões de toneladas de fertilizantes utilizadas no Brasil são importados, de acordo com a Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda).

Com a alta dos preços e as dificuldades logísticas intensificadas pela guerra na Rússia, o setor e o governo temem o desabastecimento e buscam ações para evitar a piora da crise. A principal aposta é a criação do Programa de Desenvolvimento da Indústria de Fertilizantes (Profert), que tramita na Câmara dos Deputados.

Como é produzido o fertilizante orgânico

(Fonte: PrimaSea/Divulgação)
A alta porosidade da alga facilita a absorção do fertilizante pelas plantas. (Fonte: PrimaSea/Reprodução)

O fertilizante orgânico é produzido a partir de uma alga marinha fossilizada chamada Lithothamnium calcareum, que forma grandes colônias em profundidades de até 30 metros em mar aberto e vivem entre 10 anos e 15 anos.

O material é extraído por dragagem, sem o contato humano, para que a alga não perca as suas propriedades. Quando os sedimentos são retirados de forma sustentável, a alga consegue se regenerar e se recompor no ambiente marinho.

As algas passam por um processo de secagem natural, evitando a possibilidade de choques térmicos que poderiam comprometer a riqueza do material orgânico. Para finalizar, são moídas, granuladas e ensacadas, sem alterações ou adições.

Leia também:

Resultados em experimentos

A matéria-prima para o adubo é extraída no mar fora da plataforma continental. (Fonte: Oceana Minerals/Divulgação)
A matéria-prima para o adubo é extraída no mar fora da plataforma continental. (Fonte: Oceana Minerals/Reprodução)

Os benefícios dos fertilizantes à base de alga foram comprovados em diversas experiências científicas, com produtos de diferentes fabricantes. Em uma fazenda produtora de tomates em Goiás, o Algen Micron, comercializado pela Oceana Brasil, conseguiu elevar a produtividade em 11 toneladas por hectare quando aplicado via água de irrigação no pivô central.

Associada à vinhaça, um subproduto da fermentação da cana-de-açúcar, o Primaz da PrimaSea proporcionou uma produtividade de colmo de 105 toneladas por hectare na lavoura, em um estudo conduzido pela Universidade Federal de Goiás (UFG). A média nacional é menor que 80 toneladas por hectare.

Uso em culturas

A alga Lithothamnium pode ser utilizada como adubo nas principais grandes culturas agrícolas, na horticultura, na fruticultura e até nas áreas de reflorestamento. Na soja, no milho e no trigo, o fertilizante aumenta a disponibilidade de fósforo, proporcionando um melhor desenvolvimento das raízes.

Nas lavouras de amendoim e feijão, o produto eleva a quantidade de cálcio disponível, favorecendo uma maior resistência ao estresse hídrico e o desenvolvimento radicular. No caso do alho, da cebola, da cenoura e de outras hortaliças, além de aumentar a produtividade, reduz a ocorrência de problemas internos.

Para as frutas, a exemplo do abacaxi, da banana, do mamão e da uva, o fertilizante orgânico garante uma melhor resistência e durabilidade após a colheita, resistência a fungos e uma maior concentração de açúcar.

Quer saber mais? Conheça a opinião de nossos parceiros especialistas sobre os principais temas do agronegócio.

Fonte: Oceana Minerals, Universidade Federal de Goiás (UFG), Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda), Câmara de Deputados, Revista Fapesp, PrimaSea, Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Este conteúdo foi útil para você?

194330cookie-checkFertilizante 100% orgânico é alternativa para falta de insumos

Canal Agro