Com alta nas bombas, etanol perde competitividade no Brasil

20 de julho de 2021 3 mins. de leitura
Oferta de cana-de-açúcar em baixa e preços elevados diminuem procura por etanol hidratado em todo o País

Conheça o mais relevante evento sobre agronegócio do País

Os preços da gasolina seguem mais competitivos do que o etanol em todos os estados do Brasil, isso é o que aponta o levantamento feito pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), em 4 mil postos de combustível espalhados pelo território nacional na semana do dia 12 de junho.

A disparidade nos valores tem a ver com as safras de cana-de-açúcar para 2021. Segundo as informações do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), o clima seco do ano passado acabou atrasando o início da temporada atual e limitando a oferta do produto no cenário atual. 

Preço nas bombas

Preços altos nas bombas de combustível prejudicam o etanol frente à gasolina. (Fonte: CC7/Shutterstock)
Preços altos nas bombas de combustível prejudicam o etanol frente à gasolina. (Fonte: CC7/Shutterstock)

Em média nacional, a paridade do etanol sobre a gasolina comum ficou em 77,31% durante o período analisado. Na semana anterior, a paridade era de 76,63%. Segundo os dados fornecidos pela ANP, o preço médio do biocombustível nas bombas ficou em R$ 4,388 por litro em comparação com R$ 4,334/l da última análise e R$ 5,676/l de gasolina.

Leia também:

Cana-de-açúcar: a relação entre os preços da gasolina e do etanol

Como ocorre a produção de etanol a partir da cana-de-açúcar?

Ascensão dos carros elétricos preocupa mercado de etanol

O preço médio mais alto da gasolina comum ficou com o estado do Acre: R$ 6,355/l. Por outro lado, o Rio Grande do Sul ficou no topo do ranking do preço médio mais elevado do etanol nesse período — a ANP registrou R$ 5,695 pelo litro do biocombustível no estado.

Principal produtor e consumidor de etanol no Brasil, o preço médio do etanol em São Paulo ficou em R$ 4,191/l, queda de mais de 1,60% com os valores registrados na semana anterior. Durante a análise, o estado do Amapá foi o único que não apresentou levantamento sobre o biocombustível.

Comércio de etanol

Retomada das safras de cana-de-açúcar pode favorecer etanol nos próximos meses. (Fonte: Platipas/Shutterstock)
Retomada das safras de cana-de-açúcar pode favorecer etanol nos próximos meses. (Fonte: Platipas/Shutterstock)

O número de negócios e volume comercializado de etanol apresentou queda durante os últimos meses. Conforme os dados colhidos pelo Cepea, a recente alta nos preços do biocombustível nas bombas acentuou a perda de competitividade do etanol hidratado frente à gasolina, reduziu a demanda e pressionou as cotações.

Com as safras de cana-de-açúcar retomando as atividades e a oferta do hidratado voltando a subir, a tendência é de melhora no preço do biocombustível.

Comparativo etanol e gasolina

O cálculo de competitividade entre etanol e gasolina é bastante simples. Para saber qual dos dois é mais vantajoso, basta dividir o preço do combustível derivado da cana-de-açúcar pelo preço do combustível fóssil. O etanol torna-se mais vantajoso quando o resultado do cálculo for inferior a 0,7 — ou inferior a 70% do preço da gasolina. Caso contrário, a outra opção é melhor.

Com o avanço dos motores flex e das novas tecnologias, essa proporção pode chegar a 75% para alguns veículos mais modernos. Sendo assim, a paridade de 77,31% apresentada em junho se mantém acima do recomendado aos consumidores em ambos os casos.

Não perca nenhum fato que acontece no agronegócio. Inscreva-se em nossa newsletter.

Fonte: Investing.

Este conteúdo foi útil para você?

152450cookie-checkCom alta nas bombas, etanol perde competitividade no Brasil

Canal Agro