Como ocorre a produção de etanol a partir da cana-de-açúcar?

8 de junho de 2021 4 mins. de leitura
Como ocorre a produção de etanol a partir da cana-de-açúcar?

Conheça o mais relevante evento sobre agronegócio do País

O etanol ou álcool etílico pode ser produzido a partir de matérias-primas, como milho, beterraba ou cana-de-açúcar. No Brasil, o modelo mais utilizado é o da cana. Essa opção tem algumas vantagens, pois é mais produtiva do que o combustível extraído do milho e causa um impacto menor ao meio ambiente. Se um hectare de milho rende 3 mil litros de etanol, a mesma área equivale a 7,5 mil litros no caso da cana. 

Além disso, diferentemente da gasolina, que é produzida a partir de matéria de origem fóssil, o etanol é um biocombustível, sendo uma matriz renovável e que causa menos impacto ao meio ambiente. 

Passo a passo da produção do etanol 

Para se transformar em combustível, a cana passa por uma série de processos, virando melaço e um tipo de vinho antes de ser comercializada. Entenda como ocorre a produção.

Uma tonelada de cana-de-açúcar produz cerca de 85 litros de etanol e dura cerca de 15 horas a produção, desde a entrada da cana até a saída do etanol. (Fonte: Pixabay/ ybernardi/Reprodução)
Uma tonelada de cana produz cerca de 85 litros de biocombustível. (Fonte: Pixabay)

Plantio

Atualmente, existem mais de 500 variedades de cana no país. Assim, o primeiro passo é selecionar a melhor opção, conforme o clima e a região, buscando resistência e produtividade. É importante definir o modelo do canavial e preparar o solo para o plantio. 

Primeiramente, o solo é sulcado, em seguida, as mudas são colocadas junto do fertilizante e, por fim, da terra. A etapa do plantio pode ser feita com a ajuda de máquinas, o que otimiza o processo. Para colher, é preciso esperar entre 12 e 15 meses.

Colheita 

O canavial pronto para o corte chega a ter entre dois e três metros de altura e, para otimizar a colheita, máquinas podem trabalhar ininterruptamente para alimentar a produção. Cada área de plantio suporta de cinco a seis ciclos de colheita. Já cortada, a cana é colocada em caminhões e transportada até a usina.

Leia também:

Conectividade na zona rural: impactos da chegada do 5G ao campo
A nova cepa de PSA pode provocar falta de carne no Brasil?
Energia solar no campo: alimento mais barato na mesa 

Na fábrica 

A cana chega à usina de caminhão e é descarregada em esteiras rolantes. Internamente, a primeira etapa de produção é a lavagem com água ou a seco para a retirada da palha e da terra. Depois, ela é moída e esmagada por rolos trituradores. 

Após esse processo, 70% da cana viram caldo. Os 30% restantes, chamados de bagaço, podem ser queimados para gerar energia. Para fazer o biocombustível, o caldo é purificado, filtrado e centrifugado até virar melaço. Ainda faltam dois passos: a fermentação e a destilação.

biocombustível
Para produzir o combustível, a cana é lavada, cortada e moída, e o seu caldo é esterilizado, fermentado e destilado. (Fonte: Freepik)

A etapa da fermentação é a mais demorada, durando de 8 a 12 horas. Nessa fase, o melaço é pré-evaporado e misturado com água até formar uma substância conhecida como mosto, que em seguida é misturada ao fermento até que surja o vinho fermentado.

Esse vinho tem 10% de etanol em sua composição, que é separado. Na destilação, o combustível é separado da água e, por fim, está pronto para ser comercializado. Vale lembrar que no Brasil há dois tipos de etanol: o hidratado, que tem água e 96% de graduação alcoólica, e o anidro, que é misturado com a gasolina e tem cerca de 99% de álcool. 

Não perca nem um fato que acontece no agronegócio. Inscreva-se em nossa newsletter.

Fonte: Siamig, Coper Sucar, Nova Cana, Udop.

Este conteúdo foi útil para você?

148960cookie-checkComo ocorre a produção de etanol a partir da cana-de-açúcar?

Canal Agro