Alta nos preços do diesel pode prejudicar as próximas safras

27 de abril de 2022 4 mins. de leitura
O diesel é um dos principais componentes do custo de produção agrícola, e os recentes aumentos devem impactar negativamente todo o setor

Conheça o mais relevante evento sobre agronegócio do País

Anunciado pela Petróleo Brasileiro S.A. (Petrobras) nas primeiras semanas de março, o aumento de 24,9% no preço do diesel nas distribuidoras está causando grandes preocupações no agronegócio. Sendo o combustível que move o setor de diversas formas, os reflexos dessa nova e expressiva alta devem ser negativos, podendo até prejudicar as próximas safras.

O aumento é consequência direta da guerra na Ucrânia, uma vez que a Rússia é um dos principais produtores de petróleo no mundo e as sanções ao país retiraram milhões de barris do mercado internacional, pressionando as cotações. Com o petróleo mais caro, chegando a US$ 130 por barril, a Petrobras precisou fazer reajustes no mercado interno.

Guerra na Ucrânia elevou as cotações do petróleo e, por consequência, o preço do diesel no Brasil (Fonte: Shutterstock)
Guerra na Ucrânia elevou as cotações do petróleo e, por consequência, o preço do diesel no Brasil. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)

Na prática, o diesel nas distribuidoras saltou de R$ 3,61 para R$ 4,51 por litro, passando de R$ 6 nas bombas em vários Estados. Analisando os últimos 12 meses, o aumento chega a 46,8%, segundo números divulgados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Leia também:

Pode o agronegócio sobreviver sem o diesel?

Commodities: preços devem continuar elevados em 2022

Custo da produção de alimentos deve continuar subindo em 2022

Aumento no diesel causa vários outros aumentos

A alta nos preços do combustível é preocupante porque impacta diversas etapas da produção agropecuária. A primeira delas, naturalmente, é o frete; não apenas o transporte dos produtos finais do campo para a cidade deve ficar mais caro como também o deslocamento de insumos, gerando um efeito cascata no setor.

É inviável para as transportadoras manter o custo do frete inalterado com tamanho aumento no preço dos combustíveis, já que, para as empresas, ele corresponde a cerca de 35% das despesas, podendo chegar a 50% para os autônomos.

O agronegócio também precisa do diesel para o uso de diversos tipos de maquinário, como tratores, colheitadeiras e geradores de eletricidade. Sendo assim, o preço do combustível tem impacto direto nos custos de produção, que podem aumentar 90% no cultivo de grãos, de acordo com estimativas da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

Além dos fretes, aumento no diesel eleva custos com maquinários no campo (Fonte: Shutterstock)
Além dos fretes, aumento no diesel eleva custos com maquinário no campo. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)

Possíveis problemas nas próximas safras

Por mais que o maior aumento tenha sido aplicado em março de 2022, uma tendência de alta era observada desde o ano anterior. Contudo, as elevadas cotações das commodities no mercado internacional (e o dólar alto) permitiram que os produtores processassem grande parte desse custo sem repassá-lo.

No atual cenário, os produtores podem decidir cortar custos em algumas frentes, podendo até diminuir a área plantada em certas culturas. Os grãos deverão ser priorizados porque continuam sendo bem pagos no exterior, então podem faltar produtos para o mercado interno, pressionando ainda mais a inflação nos supermercados.

A saída para essa crise não é fácil, e o governo estuda financiar o congelamento de preços de combustíveis, cortar impostos ou subsidiar categorias mais vulneráveis. Para o agronegócio, outra saída é acelerar a transição energética para fontes além do petróleo, como a solar. Em curto e médio prazos, entretanto, os impactos negativos deverão ser sentidos por todos.

Quer saber mais? Assista aqui à opinião e explicação dos nossos parceiros especialistas em agronegócio.

Fonte: Estadão Economia, Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil.

Este conteúdo foi útil para você?

180760cookie-checkAlta nos preços do diesel pode prejudicar as próximas safras

Canal Agro