Conheça o evento

Fertilizante: o limite entre a solução e o prejuízo

Apesar de ser fundamental para as plantas, fertilizante em excesso pode se tornar vilão das lavouras

Fertilizante: o limite entre a solução e o prejuízo
03/09/2020 • 3 min. de leitura

Quer impulsionar seus negócios? Se inscreva no Summit Agronegócio, evento que reúne os maiores especialistas em agro do País.
***

Do mesmo modo que pessoas e animais precisam de nutrientes para ter um crescimento saudável, as plantas dependem da fertilidade do solo para sua produtividade, por isso a aplicação de fertilizante nas lavouras é comum para o desenvolvimento de qualquer cultura.

No entanto, é importante ressaltar que a adição de nutrientes no solo deve ser feita com base na necessidade de cada local de plantio. Para isso, o acompanhamento profissional e a análise de solo precisam ser priorizados antes de qualquer manejo de preparação.

Quando um produtor não entende a importância dessa avaliação e os riscos da superdosagem, pode querer fertilizar a área de uma maneira indiscriminada ou padronizada, para poupar tempo e recursos. E é nesse momento que o que era para ser benéfico pode acabar se tornando um grande prejuízo em aspectos econômicos e ambientais.

mão jogando fertilizantes
(Fonte: Shutterstock)

Os perigos da superdosagem de fertilizantes

Quando o assunto é fertilizar o solo, a primeira coisa que deve ser considerada é qual é a cultura a ser implantada e quais são as deficiências que o terreno apresenta. Desse modo, o produtor conseguirá preparar a área buscando alcançar o potencial máximo daquela lavoura.

Os solos brasileiros em sua maioria são naturalmente pobres em fertilidade e apresentam alto teor de alumínio, elemento que pode causar toxicidade nas plantas. Para corrigir esse meio, a adubação mineral ou orgânica se faz necessária, além da correção e neutralização da acidez e do alumínio, que é feita com a aplicação de calcário e magnésio, conhecida como calagem.

Quando esses manejos de preparação são realizados de acordo com orientações técnicas e com os resultados da análise química do solo, os benefícios são alta produtividade, maior qualidade do produto final e melhoria das características do solo. Já quando a aplicação de fertilizante é feita de forma frequente e em altas dosagens, os efeitos negativos fazem com que o "remédio" se torne veneno para as plantas.

mão segurando fertilizantes
(Fonte: Shutterstock)

Dentre os principais prejuízos causados pela superdosagem de fertilizante, podemos destacar:

Desequilíbrio na absorção de todos os nutrientes necessários

Quando um fertilizante está em excesso no solo, pode prejudicar a absorção de outros nutrientes pelas plantas, causando deficiências que vão prejudicar o desenvolvimento e a produtividade da lavoura.

Plantas mais suscetíveis à doenças

Por deficiência ou superdosagem, plantas com níveis de nutrição desregulados se tornam mais fracas e vulneráveis a doenças e pragas. Desse modo, o produtor precisará gastar mais com outros manejos na tentativa de recuperar as plantas, além de sofrer queda na produtividade.

Redução na produção de frutos ou grãos

Outro problema comum da superdosagem de nutrientes é o excesso de vigor nas plantas. Isso significa que elas gastarão mais energia nas fases vegetativas e não responderão corretamente na formação de flores, frutos e grãos, afetando a rentabilidade da lavoura.

Desequilíbrio do pH do solo

A aplicação de fertilizantes sem critério também pode causar desequilíbrio do pH, aumentando a necessidade de fazer a correção com calcário e magnésio, o que pode ser inviável dependendo da fase de desenvolvimento da cultura, além de aumentar os custos para o produtor rural.

Quer ficar por dentro das novidades tecnológicas no agronegócio? O Summit Agronegócio reúne especialistas e autoridades para discutir os temas mais relevantes do setor, como drones, GPS, uso de softwares e tecnologias para sustentabilidade. Faça parte da evolução do agro e participe do evento mais completo do setor. Para saber mais, é só clicar aqui!

Fonte: Elysios.