Conheça o evento

Como a pecuária evitou o desmatamento de 270 mil hectares

Embora ainda seja um dos maiores responsáveis pelo desmatamento no Brasil, o setor agropecuário tem se esforçado para alcançar a sustentabilidade

Como a pecuária evitou o desmatamento de 270 mil hectares
15/07/2020 • 2 min. de leitura

Quer impulsionar seus negócios? Se inscreva no Summit Agronegócio, evento que reúne os maiores especialistas em agro do País.

***

A pecuária é uma das grandes responsáveis pelo desmatamento em nosso país. De acordo com um estudo divulgado pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), o setor tem participação em 80% das áreas devastadas no Brasil.

Apesar disso, os produtores e pecuaristas têm se esforçado para tornar suas atividades mais sustentáveis. Juntamente com iniciativas governamentais, o setor foi responsável pela preservação de uma área equivalente a 270 mil hectares, de acordo com o mesmo estudo. A propósito, ele não apenas revelou os números sobre desmatamento na América Latina, como também destacou os esforços que vêm sendo realizados em direção à sustentabilidade.

Agronegócio em favor da sustentabilidade

Iniciativas do setor tem ajudado a tornar a pecuária mais sustentável. (Fonte: Shutterstock)
Iniciativas do setor têm ajudado a tornar a pecuária mais sustentável. (Fonte: Shutterstock)

Entre os esforços elogiados pela FAO, o Brasil se destaca por conta dos incentivos e mecanismos de fomento público, que aliam o recebimento de créditos ao cumprimento de normas ambientais. Essa estratégia, de acordo com o relatório, foi a responsável por evitar a perda de 270 mil hectares de florestas que teriam sido desmatadas para aumentar a área destinada à produção de carne bovina em nosso país.

Outra forma de buscar a sustentabilidade é aumentar a produtividade dos loteamentos, aumentando assim a produção, sem para isso precisar ocupar novos espaços. A tecnologia é uma grande aliada nesses casos, auxiliando, por exemplo, o produtor e o pecuarista a destinarem as áreas para pastagem e plantio de acordo com análises do solo, a fim de garantir melhores safra e criações.

“Garantir a adoção de tecnologias que permitam a produção sustentável é um dos principais passos para que a agricultura possa produzir cada vez mais usando menos dos recursos naturais”, afirma a FAO.

A FAO também elogia o “Bolsa Verde”, mais uma iniciativa brasileira que serve de exemplo para outras nações. Esse programa de transferência condicionada de renda disponibiliza recursos a milhares de famílias de baixa renda e pequenos produtores em troca da manutenção da cobertura vegetal e do uso sustentável dos recursos naturais.

O Bolsa Verde é destinado àqueles que moram em áreas de florestas nacionais, reservas extrativistas e ambientais, bem como lugares de assentamento florestal. Populações indígenas, quilombolas e outras comunidades geralmente se beneficiam desse programa.

Dados do desmatamento

Embora existam motivos para comemorar, o desmatamento em nosso país é bastante preocupante. Por aqui, a pecuária derruba mais árvores do que nos nossos vizinhos. Na Argentina, por exemplo, o setor foi responsável por 45% do desmatamento. O relatório revelou que a expansão dos pastos causou a perda de pelo menos um terço das florestas nos seis países analisados.

Apesar de o desmatamento seguir em níveis altos na América Latina, a taxa tem diminuído consideravelmente ao longo dos anos. Entre 1990 e 2015, houve uma redução de quase 50%, taxa significativa na Amazônia especialmente devido às políticas de desenvolvimento sustentável impulsionadas pelos países que compartilham áreas florestais.

Quer ficar por dentro das novidades do agro? O Summit Agronegócio reúne especialistas e autoridades para discutir os temas mais relevantes do setor, como sustentabilidade, fruticultura, seguros, SIF, agroquímicos e abastecimento. Faça parte da evolução do agro e participe do evento mais completo do setor. Para saber mais, é só clicar aqui!

Fonte: Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).