Carne de frango: exportações brasileiras crescem 5,7% em março

2 de junho de 2022 4 mins. de leitura
Devido ao aumento da procura internacional pelo produto, preços da carne de frango nacional tiveram altas recentes

Conheça o mais relevante evento sobre agronegócio do País

O mercado brasileiro de exportações de carne de frango começou o ano de 2022 em alta. De acordo com a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), o Brasil teve um volume 5,7% superior ao embarcado no terceiro mês de 2021, quando o País alcançou a marca de 396 mil toneladas vendidas. Dessa forma, contando produtos in natura e processados, o número deste ano alcançou 418,8 mil toneladas em março.

Com isso, a receita de vendas chegou aos US$ 771,1 milhões, o que significa um aumento de 27,8% em comparação ao mesmo período do ano anterior — US$ 603,6 milhões. Em relação ao trimestre, o crescimento diante do ano passado foi de 10,2%, sendo 1,142 milhão de toneladas de carne de frango exportadas.

Comércio de frango no mercado internacional

(Fonte: Shutterstock)
Brasil assumiu protagonismo no mercado de exportação de frango. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)

O Brasil passou a se colocar em uma posição de destaque no mercado internacional de carne de frango durante este ano. Devido aos efeitos dos diversos focos de influenza aviária em outros grandes países produtores e exportadores do produto, o comércio brasileiro conquistou uma vantagem competitiva.

“Nesse contexto, o fato de nunca ter registrado a enfermidade em seu território é algo que se transforma em vantagem competitiva para o Brasil, que tem utilizado o bom fluxo das exportações para compensar as perdas geradas pelas altas históricas nos custos de produção”, declarou Ricardo Santin, presidente da ABPA, em nota no site da associação.

Quanto às importações, a China voltou a liderar as vendas mensais nesse setor. O país asiático foi quem mais comprou carne do Brasil em março, com 60,3 mil toneladas, o que significa um aumento 8,4% superior ao registrado no terceiro mês de 2021. O segundo lugar fica com o Japão, com 39,1 mil toneladas, e Emirados Árabes Unidos, com 36,1 mil toneladas.

Conflitos na Europa e compensação da carne suína

(Fonte: Shutterstock)
Contexto internacional impacta as vendas brasileiras de frango. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)

Na visão de Luís Rua, diretor de mercados da ABPA, a guerra entre Rússia e Ucrânia impactou positivamente a representatividade brasileira nas vendas de carne de frango internacionalmente. Para Rua, o Brasil reforçou sua posição como principal exportador de carne de frango do planeta desde que o conflito no Leste Europeu atingiu seu ápice.

Leia também:

“Em um momento de escassez da oferta internacional, o Brasil se reafirma ainda mais como um porto seguro e estável para os mais de 140 países que compram a nossa proteína. Prova disso é que praticamente todos os destinos principais de exportação brasileira de carne de frango registraram significativa elevação nas importações, sendo a China o principal destaque”, ressaltou o executivo da ABPA em um comunicado da associação a respeito das exportações de frango.

Com esse avanço, o mercado brasileiro passou a acreditar na possibilidade de compensar parte das adversidades observadas no segmento de carne suína durante esse período. Com a estabilidade de embarques previstos para a China em 2022, o comércio da carne de frango mostrou ser uma “carta na manga” para os brasileiros.

Elevação dos preços no mercado nacional

(Fonte: Shutterstock)
Bom momento externo aumenta preço no mercado nacional. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)

O preço do frango para os brasileiros apresentou alta no início de abril devido à crescente demanda pela exportação da proteína, segundo alerta do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Na parcial do mês, que contou até o dia 20, o indicador de preços para a carne congelada no Estado de São Paulo avançou 5,6%. Com isso, a carne de frango passou a custar R$ 7,98 o quilo.

No mesmo período, a cotação da proteína resfriada na mesma região subiu 1,7%, chegando à mesma marca (de R$ 7,98 o quilo). Segundo o Cepea, a falta de oferta internacional desse produto foi responsável por causar um aumento da demanda pela carne de frango nacional.

As exportações em alta passaram a limitar a oferta doméstica, o que resultou no aumento dos preços. A tendência é que os valores continuem dessa forma, apesar de a demanda nacional também estar enfraquecida.

Quer saber mais? Conheça a opinião de nossos parceiros especialistas sobre os principais temas do agronegócio.

Fonte: Maringa Post, AviSite, ABPA

Este conteúdo foi útil para você?

186510cookie-checkCarne de frango: exportações brasileiras crescem 5,7% em março

Canal Agro