Mercado futuro pode proteger commodities de oscilações

29 de setembro de 2020 3 mins. de leitura
Negociação de commodities no mercado futuro pode diminuir os riscos gerados pelo cenário instável provocado pela pandemia do coronavírus

Quer impulsionar seus negócios? Se inscreva no Summit Agronegócio, evento que reúne os maiores especialistas em agro do País.

***

O agronegócio é o único setor da economia brasileira que apresentou crescimento em meio à atual pandemia; ainda assim, o segmento enfrenta a possibilidade de instabilidade nos mercados nacional e internacional. Medidas que podem reduzir as perdas, como a negociação de commodities no mercado do futuro, devem ser adotadas pelos produtores.

O setor cresceu 1,9% no primeiro trimestre de 2020 em comparação aos primeiros três meses do ano anterior, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Apesar da perspectiva positiva, o cenário continua volátil até o fim da crise, com preocupações como demanda, condições de trabalho e logística.

Indicadores econômicos, como a variação da taxa cambial, também afetam diretamente o custo de insumos como defensivos e máquinas agrícolas e o preço final dos produtos exportados. Isso dificulta o planejamento financeiro das propriedades e pode causar prejuízos de longo prazo, apesar do árduo trabalho para escoar a produção.

Como negociar commodities no mercado futuro

moedas ao lado de grãos de milho
Grãos são as commodities mais comuns de serem negociadas pelo agronegócio brasileiro. (Fonte: Shutterstock)

Para proteger a saúde financeira do agronegócio a médio e longo prazos, os produtos podem ser negociados no mercado futuro. Nessa operação, o agricultor fixa o preço da próxima safra, garantindo que receberá o valor por sua colheita em determinada data. Os contratos podem ser negociados com bancos, tradings ou cooperativas.

É recomendável que o produtor comercialize antecipadamente no máximo 70% da previsão de colheita no mercado futuro, de forma a não comprometer toda a produção na operação financeira. Isso protege o negócio de possíveis prejuízos decorrentes de quebras de safra, baixas de cultivo causadas por intempéries, entre outros fatores.

Operações de derivativos no mercado futuro

Agricultores também podem optar por negociar produtos em operações de derivativos do mercado futuro, que permite definir o valor futuro com o preço em dólar, protegendo a negociação da volatilidade da taxa cambial. Esses contratos podem ser negociados diretamente na Bolsa de Valores ou com a intermediação de bancos.

Diferentemente da operação tradicional, esse tipo de transação não prevê a entrega física dos produtos, e as instituições financeiras são responsáveis por garantir os contratos, contrabalanceando com mecanismos próprios as variações do câmbio.

Análise técnica

gráficos de subida e descida
Decisões sobre proteção de lavouras com preços futuros devem ser tomadas com base em análise técnica. (Fonte: Shutterstock)

As decisões sobre negociações de produtos com preços futuros precisam ser baseadas em análise de fatores e dados, como conjuntura econômica, demanda internacional, previsão meteorológica e, principalmente, de acordo com a margem de lucro da atividade. O agricultor deve contar com informações atualizadas sobre o mercado, além de conhecer profundamente instrumentos financeiros que possam rentabilizar suas atividades e proteger o negócio de eventuais variações do mercado. Se necessário, o produtor deve procurar uma assessoria técnica especializada para garantir a segurança das operações.

Quer saber mais sobre o mercado futuro? Inscreva-se no Summit Agro, evento que reúne os maiores especialistas em agronegócio do País.

Gostou? Compartilhe!