Conexão no campo: quanto custa conectar sua fazenda à internet?

30 de maio de 2020 5 mins. de leitura
Acesso à rede mundial de computadores esbarra na falta de infraestrutura e no alto preço, mas a situação já está melhorando

Dados do último Censo Agropecuário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística(IBGE), datados de 2017, demonstram o que muitos agricultores e pecuaristas sentem no dia a dia: falta conexão no campo. Embora o acesso à internet nos estabelecimentos agropecuários tenham aumentado 1900% desde a última pesquisa, em 2006, 70% das propriedades ainda não estavam conectadas à rede mundial de computadores.

Um dos principais obstáculos para isso é a falta de infraestrutura no interior do país, uma vez que a maior parte dos serviços é focada nos grandes centros urbanos. Nesse contexto, levar a estrutura de rede para cada propriedade pode ser muito custoso, o que configura o segundo problema da internet rural no Brasil: o preço. Embora os valores de mensalidade não sejam o que mais pesa no orçamento, o custo de instalação acaba sendo um impeditivo para muitos produtores rurais.

Fonte da imagem: Unsplash
(Fonte: Unsplash)

Conexão no campo pelas ondas de rádio

O cenário descrito acima acontece, em grande parte, porque a principal opção disponível para promover conexão no campo é a internet via rádio. Essa tecnologia demanda a instalação de antenas na propriedade para captar o sinal emitido pelas operadoras. Sendo assim, por mais que os planos sejam acessíveis — entre R$ 100 e R$ 300 ao mês, para uma conexão um ou dois megabits por segundo —, o preço para instalar as antenas pode ultrapassar os R$ 5 mil.

Esses custos de instalação dependem da operadora, da região, bem como da estrutura necessária na propriedade e por isso podem variar bastante. É interessante observar, também, que maioria das conexões de internet via rádio é oferecida por empresas de atuação regional, por isso os serviços prestados por cada uma também podem ser diferentes.

De maneira geral, para os produtores que podem fazer o investimento inicial, essa tecnologia é uma das opções mais viáveis, além de ser a mais tradicional. Outra vantagem: os planos não costumam limitar franquia de dados, algo que pode fazer a diferença em propriedades que utilizam muito a internet.

A alternativa da internet móvel

As empresas que costumam oferecer internet por preços mais acessíveis e com baixo custo de instalação — ou sem custo, em muitos casos — são as grandes companhias de telecomunicações de alcance nacional. Essas empresas, entretanto, costumam concentrar seus serviços nas grandes metrópoles ou, quando atuam no interior do país, apenas nas áreas urbanas. Dessa maneira, por mais que um proprietário rural tenha um ótimo plano de internet fixa e móvel em sua casa na cidade, a fazenda fica há quilômetros de lá e não conta com a mesma conexão.

Esse cenário começou a mudar com o leilão do 4G no Brasil, realizado em 2012. O edital de lançamento da tecnologia condicionava as operadoras a oferecer internet banda larga também nas zonas rurais. É fato que a conexão no campo ainda não conta com a mesma tecnologia e velocidade disponíveis nas áreas urbanas, mas pelo menos está presente.

Com isso, produtores de várias regiões do país agora podem adquirir modens de internet móvel por um preço mais acessível do que o valor cobrado pelas antenas de internet via rádio. A conexão costuma ser de 1 mega e as mensalidades são em torno de R$100 a R$200, de forma semelhante à opção descrita anteriormente. A grande questão, no caso, é compreender se esse acesso já chegou à sua região.

Fonte da imagem: Unsplash
(Fonte: Unsplash)

Satélite: a terceira via

Uma terceira tecnologia, ainda mais recente, é a internet via satélite. Há algumas empresas que oferecem esse tipo de serviço em nível nacional, com planos entre R$ 150 e R$ 300, para uma conexão de dez megabits por segundo.

Essa, talvez, seja a maior vantagem da internet via satélite: a maior velocidade, permitindo transferências de arquivos mais rápidas, entre outros benefícios. Além disso, por mais que as empresas cobrem taxas de adesão, trata-se de um preço menor do que o da instalação de antenas na propriedade. Ainda se trata de uma tecnologia incipiente no Brasil, mas é mais uma opção a qual os produtores rurais podem recorrer para ter conexão no campo.

No fim, para decidir qual tipo de conexão escolher — rádio, móvel ou satélite — cada produtor precisa analisar as opções disponíveis na sua região. A depender dos custos de instalação, mensalidades e da velocidade oferecida, qualquer opções dessas têm seus prós e contras. Contudo, não há dúvidas sobre as vantagens de ter conexão no campo: a internet permite a utilização de novos equipamentos e técnicas de manejo tecnológicas, é essencial para os negócios no campo, além de trazer informações importantes para quem trabalha no agronegócio, é claro.

Quer ficar por dentro das novidades do agro? O Summit Agronegócio reúne especialistas e autoridades para discutir os temas mais relevantes do setor, acompanhe. Para saber mais, é só clicar aqui!

Fonte: TecMundo e AgroNovas.

Gostou? Compartilhe!