Conheça o evento

Como melhorar a conectividade no campo

No Brasil, segundo o IBGE, 59% da população no campo não possuem acesso à internet e os principais motivos são a falta de disponibilidade, o alto custo e a dificuldade de acesso

Como melhorar a conectividade no campo
02/04/2020 • 3 min. de leitura

A conectividade no campo não diz respeito apenas ao sinal de internet a ser usado pelos moradores, mas também está relacionada a diversos outros aspectos tecnológicos. Quem mora nessas regiões pode, por exemplo, consultar informações climáticas, usar o GPS para otimizar trajetos, conversar com seus fornecedores e clientes, cotar preços de insumos, pesquisar produtos, automatizar suas máquinas ou conversar com elas.

Porém, para aproveitar todas essas e outras praticidades que a conectividade no campo pode trazer, é necessário, justamente, tê-la presente na zona rural e funcionando de maneira adequada, o que nem sempre acontece. Para então contornar esse problema, é preciso entender melhor o que prejudica a chegada do sinal até esses locais, maneiras de combater esses pontos e assim poder melhorar a conectividade no campo. Segundo uma pesquisa feita pelo IBGE em 2017, apenas 41% da população na zona rural tinham acesso à internet, e os principais motivos encontrados foram: falta de interesse em acessar, não saber usar a rede, alto custo, disponibilidade e falta de equipamentos.

Os problemas que afetam a conectividade no campo

Segundo a pesquisa citada, dos domicílios que não utilizavam a internet, 21,3% não tinham acesso disponível na área e, para 20,4%, o serviço era caro. Isso acontece, principalmente, porque a conectividade no campo é feita por meio de provedores a rádio, cujos sinais sofrem interferências de chuvas e de objetos, por exemplo. A velocidade de transmissão de dados também costuma ser baixa e pode sofrer com a sobrecarga em determinados horários.

Em relação à falta de sinal, o principal fator responsável é a baixa presença de torres de transmissão. As conexões por fibra ótica – muito comum na grande maioria das cidades – não são encontradas no campo por causa da distância, fazendo com que a instalação delas seja mais cara e o sinal não chegue até a zona rural.

Então, como é possível melhorar a conectividade no campo?

Para poder incluir a tecnologia nas diferentes áreas da zona rural, é fundamental minimizar esses problemas e buscar melhorar a conectividade, por mais que isso requeira um investimento elevado.

Desse modo, para aperfeiçoar a qualidade da internet usada pelos produtores rurais, a primeira solução – e uma das melhores –  é a instalação de torres de transmissão ou de amplificadores de sinal para promover a expansão da conectividade em toda a região que está sob o alcance dessas torres; isso pode ser feito tanto por empresas de telefonia quanto pela iniciativa privada.

Outra solução é a utilização de uma frequência maior, que não sofra tanto com as interferências existentes no campo e, assim, apresente uma maior estabilidade e velocidade. Nesse sentido, existe também a possibilidade de levar a fibra ótica ao campo e, com isso, melhorar a conectividade utilizando a própria infraestrutura da rede elétrica – como já vêm sendo feito no Rio Grande do Sul, por exemplo.

Além disso, diversas empresas do agronegócio vêm criando iniciativas para levar a conectividade ao campo. Logo, existe também essa possibilidade de se juntar a elas para garantir melhores condições de conexão e estimular a iniciativa. Um exemplo disso é o ConectarAgro, que busca viabilizar internet para a Agricultura 4.0 e já conta com uma série de parcerias relevantes, o que vem beneficiando um grande número de produtores.

(Fonte: Unsplash)

O investimento no setor de tecnologia e conectividade no campo pode acabar trazendo benefícios a todos os responsáveis em diferentes áreas, gerando um maior rendimento, economizando tempo e dinheiro, bem como aumentando a qualidade da produção. Por isso, esse é um ponto que precisa ser bastante considerado.

Se interessou pelo assunto? Aprenda mais com especialistas da área no Summit Agro. Enquanto isso, acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fonte: Estadão, Minha Operadora, Abdi, IBGE