Como tecnologia e conectividade podem revolucionar o campo?

24 de novembro de 2020 4 mins. de leitura
Inovação pode ajudar o agronegócio brasileiro a garantir a segurança alimentar mundial

A conexão com a internet na zona rural é um passo importante para que o agronegócio brasileiro consiga dar o próximo salto de produtividade. Por enquanto, mais da metade das propriedades rurais não tem acesso à web, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mas essa realidade está prestes a mudar.

O Summit Agro ouviu especialistas durante o Painel Tech sobre a importância da conectividade para alavancar a utilização de ferramentas tecnológicas como inteligência artificial e automação nas propriedades rurais. Confira detalhes.

Dificuldade para conectar o campo

A falta de disponibilidade e o alto custo do serviço de internet, além da dificuldade de acesso, são os principais obstáculos para conectar o campo. Paulo Bernardocki, diretor de soluções de redes da Ericsson para o Cone Sul da América Latina, afirma que a conexão por celular é “A tecnologia madura para fazer a conexão no campo”.

O especialista avalia que, por muito tempo, o foco das companhias telefônicas se direcionou para varejo e atendimentos nos grandes centros. No entanto, a tecnologia vem facilitando a implantação de estações na zona rural, e a demanda por conectividade nas fazendas cresceu nos últimos cinco anos, o que deve atrair a atenção das telefônicas.

Conexão com a internet

Acesso à internet gera impacto profundo na zona rural, muito além da gestão de fazendas e da automatização do maquinário. (Fonte: Pixabay)

“A maioria das máquinas está preparada para a conexão desde 2015. Do trator pequeno até o trator grande têm a opção de sair de fábrica com o modem”, diz Rodrigo Bonato, diretor de tecnologia e soluções inteligentes da John Deere para a América Latina.

Mas a internet no campo significa muito mais que conectar máquinas e mudar a forma de gerir o agronegócio. “A propriedade pode oferecer a possibilidade de treinamento remoto para empregados e atendimento via telemedicina. Com essas mudanças da vida no campo, o produtor passa a ter todo esse benefício”, afirma Bonato.

Benefícios da conectividade

Onde foi possível realizar investimentos para instalar antenas em conjunto com as operadoras de tráfego de dados, a conexão em tempo real permite o uso de máquinas de forma automatizada e de inteligência artificial. Essas tecnologias podem proporcionar grande salto de eficiência na produção de alimentos, com redução de custos e uso racional de insumos.

Ronei Sana, coordenador de agricultura digital da SLC Agrícola, afirma que, nas lavouras atendidas pela empresa, “Na última da safra foi possível reduzir o uso de agrotóxicos em 3% através da tecnologia e da conectividade”. A conexão com a internet proporciona produtos de melhor qualidade, rastreados, com menor custo, em grande escala e com redução de impacto ambiental.

Aplicação de alta precisão

Drones permitem aplicação de insumos com alta precisão e custo acessível para pequenos e médios produtores. (Fonte: Summit Agro 2020/Reprodução)
Drones permitem aplicação de insumos com alta precisão e custo acessível para pequenos e médios produtores. (Fonte: Summit Agro 2020/Reprodução)

A agricultura de precisão é trabalhada por empresas de grande porte. A agricultura familiar, que representa grande parte da produção brasileira, ainda não faz uso em larga escala de soluções nesse sentido pela falta de equipamentos ou pelo custo muito alto de aplicação de insumos, como é o caso dos aviões.

No entanto, pequenos e médios produtores podem ter acesso a uma tecnologia de pulverização de agrotóxicos de alta precisão. É o que explica Eduardo Goerl, fundador da Arpac, empresa fabricante e fornecedora de serviços de drones para o agronegócio. Segundo ele, a solução é capaz de reduzir 65% dos custos com insumos ao aplicar pesticidas apenas em áreas atingidas por pragas.

Participe do debate sobre a pecuária brasileira e seu impacto no meio-ambiente. É online e gratuito. Inscreva-se agora!

Canal Agro