Como funciona o monitoramento de resíduos de pesticidas?

19 de junho de 2022 4 mins. de leitura
Monitoramento é feito em alimentos de origem vegetal por meio do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (Para)

Conheça o mais relevante evento sobre agronegócio do País

No Brasil, periodicamente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) analisa os níveis de resíduos de pesticidas existentes nos alimentos de origem vegetal provenientes de supermercados e sacolões. Isso é feito por meio do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (Para), em que são realizadas avaliações de alimentos em laboratórios públicos e privados.

Como funciona o PARA?

14 alimentos de origem vegetal foram avaliados em 77 municípios brasileiros pelo PARA no relatório de 2017 a 2018. (Fonte: Unsplash))
Catorze alimentos de origem vegetal foram avaliados em 77 municípios brasileiros pelo PARA no relatório de 2017 a 2018. (Fonte: Unsplash/Reprodução)

Os defensivos químicos ou pesticidas são insumos agrícolas importantes para a produção de alimentos em grande escala. No entanto, em virtude do uso inadequado em algumas situações, os alimentos podem receber a aplicação de substâncias não recomendadas para determinada cultura ou em excesso, o que pode resultar em resíduos nos alimentos.

Leia também: O que são resíduos de agrotóxicos e onde podem ser encontrados?

Criado em 2001, o monitoramento de resíduos de pesticidas é realizado pelo Paracom auxílio das equipes de vigilância sanitária municipal e estadual. A definição dos alimentos a serem analisados é feita conforme estudos sobre consumo alimentar brasileiro, como a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF).

As coletas são executadas em supermercados de diferentes regiões, considerando os alimentos de maior risco potencial de acordo com os históricos do Para. Já as análises dos alimentos são realizadas em laboratórios públicos e privados contratados pela Anvisa, que seguem normas de qualidade com metodologias internacionalmente reconhecidas e validadas para garantir confiabilidade nos resultados amostrados.

Tais normas têm a função de detectar qual é o tipo de pesticida presente no alimento. Existem ainda outras formas para identificar defensivos específicos, como o glifosato, etefom e 2,4-D, e quantificar o limite máximo de resíduos (LMR) presente em alimentos e atestar se são recomendados para determinada cultura.

Leia também: Agrotóxico é encontrado em alimentos ultraprocessados, diz estudo

No último Relatório das Amostras Analisadas, feito no período 2017-2018, foram avaliados 14 alimentos de origem vegetal em 77 municípios brasileiros. Entre os alimentos analisados estão abacaxi, alface, alho, arroz, batata-doce, beterraba, cenoura, chuchu, goiaba, laranja, manga, pimentão, tomate e uva.

Do total de amostras analisadas, 77% eram satisfatórias (sem detecção irregular), das quais: em 49% não se encontrou nenhum vestígio de pesticidas, e 28% tiveram resíduos com concentrações iguais ou inferiores ao LMR.

Cerca de 23% do total das amostras analisadas foram consideradas insatisfatórias, ou seja, estavam acima do LMR. De maneira geral, os alimentos avaliados foram considerados seguros para ingestão, com apenas 0,89% das amostras analisadas apresentando risco potencial à saúde.

Avanços e desafios do programa

Deve haver uma força tarefa entre órgãos de pesquisa públicos e privadas para incentivar a redução de resíduos nos alimentos. (Fonte: Pexels)
Deve haver uma força-tarefa entre órgãos de pesquisa públicos e privados para incentivar a redução de resíduos nos alimentos. (Fonte: Pexels/Reprodução)

O Para é uma ferramenta importante para auxiliar a população na escolha dos alimentos, considerando os níveis potenciais de pesticidas. No entanto, não é papel desses dados informar o risco iminente do consumo, e sim apenas oferecer informações para reduzir riscos, alertando as autoridades e os órgãos competentes sobre quais são os pesticidas e os alimentos que devem ser alvos de mais investigações.

É necessário que haja um esforço para aprimorar a forma como o monitoramento de resíduos vem sendo realizado. Não basta apenas detectar, é preciso estruturar medidas úteis que reduzam a presença deles nos alimentos.

Quer saber mais? Conheça a opinião de nossos parceiros especialistas sobre os principais temas do agronegócio.

Fonte: Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (Para)

Este conteúdo foi útil para você?

186720cookie-checkComo funciona o monitoramento de resíduos de pesticidas?

Canal Agro