Tendência sustentável: horta urbana gera novos hábitos de consumo

17 de fevereiro de 2020 3 mins. de leitura
Segundo dados do instituto de pesquisas ambientais Worldwatch Institute (WWI), algo entre 15% e 20% dos alimentos consumidos no mundo são produzidos em hortas urbanas, pensadas para tornar as cidades um pouco menos cinzentas e estimular o consumo de alimentos orgânicos. No Brasil, um ponto turístico de São Paulo inaugurou uma horta comunitária na cobertura […]

Segundo dados do instituto de pesquisas ambientais Worldwatch Institute (WWI), algo entre 15% e 20% dos alimentos consumidos no mundo são produzidos em hortas urbanas, pensadas para tornar as cidades um pouco menos cinzentas e estimular o consumo de alimentos orgânicos. No Brasil, um ponto turístico de São Paulo inaugurou uma horta comunitária na cobertura de seu prédio, em um ambiente que surpreendeu a todos os seus assíduos frequentadores.

(Fonte: Fecomercio/Reprodução)

Em 2016, a Galeria do Rock ganhou um espaço de 300 m² dedicado ao plantio e ao ensino dessa prática. Ali, além do cultivo de várias frutas, verduras e hortaliças, ainda há aulas sobre a atividade. Segundo a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP), a prática contribui para a sustentabilidade e a educação e ajuda na absorção de gases de efeito estufa, graças à absorção do CO2. Ainda, atrai pássaros e refresca os ambientes, evitando o fenômeno das ilhas de calor.

Segundo depoimento da jornalista, ambientalista e agricultora urbana Claudia Visoni, é importante compreender que a agricultura e a urbanidade são irmãs e precisam coexistir. Ela reforça também que a horta é um espaço vivo e demanda atenção para que sua existência possa fazer a diferença.

(Fonte: Pixabay)

A horta comunitária também representa um importante ganho econômico. Com forte apoio da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (ONU/FAO), esse tipo de cultivo apresenta vantagens em relação às formas de agricultura tradicionais, como proximidade dos mercados ou pontos de venda, baixo custo para o transporte e redução de perdas nas colheitas.

(Fonte: Pixabay)

A promoção do cultivo de verduras frescas e saudáveis é um grande ganho da horta urbana, que também promove o empreendedorismo, atrai investimentos, gera lucro, oportunidades de trabalho e a educação ambiental, além de ajudar a deixar a cidade mais verde. Cláudio Capeche, da Empresa Brasileira de Pesquisa e Agropecuária (Embrapa), acrescenta que a proposta pode ajudar o público a conhecer o potencial da agricultura que pode ser desenvolvida na sua casa, escola ou comunidade.

Se interessou pelo assunto? Aprenda mais com especialistas da área no Summit Agro. Enquanto isso, acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fontes: IBGE, Embrapa, Fecomercio-SP, Secretaria de Agricultura de São Paulo.

Gostou? Compartilhe!