SIF garante continuidade da produção pecuária brasileira

22 de abril de 2020 4 mins. de leitura
Inspeção do Governo Federal continuará funcionando, mesmo com as medidas de isolamento social causadas pelo novo coronavírus

Quer impulsionar seus negócios? Se inscreva no Summit Agronegócio, evento que reúne os maiores especialistas em agro do País.

***

Uma das maiores preocupações dos pecuaristas brasileiros — e não apenas deles, mas também das autoridades e dos cidadãos — era que o avanço da covid-19 causasse a paralisação das atividades do setor e uma consequente crise de abastecimento. Contudo, no início de abril, o Serviço de Inspeção Federal (SIF) anunciou que suas atividades devem continuar normalmente, mesmo com as medidas de isolamento social demandadas para o combate ao novo coronavírus, que já causou a paralisação de diversos setores.

De acordo com nota divulgada pelo governo federal, apenas 9 dos 224 abatedouros de bovinos cadastrados no SIF reportaram alguma interrupção em suas operações, algo que não ocorreu nos frigoríficos de aves ou suínos.

Em abril, a perspectiva é que o SIF continue trabalhando a todo vapor, inclusive com turnos extras, para garantir o abastecimento. Foi o que afirmou o secretário de Defesa Agropecuária, José Guilherme Leal, em nota: “já estão programados e autorizados 52 turnos extras para o mês de abril. Os Sipoas [Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Animal] regionais estão adotando medidas gerenciais para atendimentos dessas demandas que têm sido salutares para o fornecimento de produtos de origem animal para a sociedade”.

S.I.F. fiscaliza produtos de origem animal
SIF fiscaliza estabelecimentos em que há abate de animais. (Fonte: Pixabay)

Notícia importante para a pecuária brasileira

As atividades do SIF são essenciais para a pecuária brasileira, uma vez que o serviço atesta a segurança alimentar e a qualidade sanitária dos produtos de origem animal fabricados no País. Isso quer dizer que o selo do SIF é um certificado importante de procedência para os consumidores brasileiros. Nas palavras da diretora do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa), Ana Lúcia Viana, “por meio desses procedimentos, é possível identificar os animais com patologias que representam riscos à saúde pública”.

Além disso, o SIF é importante para que os produtos nacionais possam ser exportados para mais de 190 países. O serviço expede as certificações sanitárias que garantem que carnes e outros artigos de origem animal feitos no Brasil atendem às normas de sanidade animal e aos processos de fabricação exigidos por cada país.

Isso é ainda mais importante no cenário atual; afinal, mesmo que ainda não existam comprovações científicas de que o novo coronavírus pode ser transmitido por animais, a maioria dos países está mais atenta às normas sanitárias. E diversos países do sudeste da Ásia — em especial a China, principal comprador dos produtos brasileiros — estão sofrendo com a epidemia da peste suína africana (PSA).

China está sofrendo com peste suína africana
China está sofrendo com peste suína africana. (Fonte: Pexels)

Um serviço centenário, de alcance nacional

Desde sua criação, em 1915, ainda como Serviço de Inspeção Pastoril, o SIF ganhou alcance nacional, atuando em milhares de estabelecimentos em todo o País. De acordo com dados divulgados pelo governo federal, há mais de 3,7 mil estabelecimentos nacionais e 8,7 mil estrangeiros cadastrados no sistema.

Mais de 5 bilhões de animais foram inspecionados, apenas em 2019, nas cinco frentes em que o SIF atua: carnes, ovos, lácteos, pescados e mel e seus derivados.

Quer ficar por dentro das novidades sobre saúde no agronegócio? O Summit Agronegócio reúne especialistas e autoridades para discutir os temas mais relevantes do setor, como vacinação, H5n8, sanidade animal e melhor manejo para um rebanho saudável. Faça parte da evolução do agro e participe do evento mais completo do setor. Para saber mais, é só clicar aqui!

Fonte: Governo Federal e Estadão.