Pancs: uma tendência promissora na alimentação

9 de setembro de 2019 4 mins. de leitura
Entenda o que são as Pancs e por que esse caminho é muito promissor e saudável

Ao mesmo tempo que as redes de fast-food se proliferam e ficam mais acessíveis devidos às diversas plataformas de delivery, a busca por uma alimentação saudável tem aumentado consideravelmente. Muitas pessoas querem cuidar da saúde e veem no prato a solução para uma vida com mais qualidade — e é nesse contexto que há o aumento do uso das Plantas Alimentícias Não Convencionais (Pancs).

Esses alimentos podem estar bem perto de você, na sua casa, no seu trabalho, no caminho que você faz todos os dias. São aquelas plantas que mais parecem ervas daninhas, brotam “voluntariamente” e não costumam estar na lista dos alimentos que você poderá sempre encontrar no supermercado. Durante vários anos, elas não receberam a devida atenção, mas todo o seu poder nutritivo as colocou agora em outro patamar.

Com a alimentação vegana cada vez sendo mais difundida e o desejo de se ter uma vida mais saudável, o consumo de alimentos orgânicos livres de agrotóxicos fez com que as Pancs ganhassem rapidamente o gosto dos mais interessados em uma gastronomia natural. A inclusão em pratos mais rebuscados e da alta culinária também fez o interesse por essas plantas aumentar, afinal há um grande arsenal de sabores que ainda não foi descoberto.

Para os produtores da agricultura familiar, as Pancs se tornaram uma ótima opção de produção, visto que grande parte delas é resistente, mais fácil de acompanhar e não precisa de agentes químicos para se desenvolver. Além do mais, essas plantas não exigem um solo extremamente fértil e, dependendo da espécie, não necessitam de irrigação constante, sendo uma ótima opção para a subsistência de quem as cultiva e para a comercialização. Como a demanda tem se apresentado maior a cada ano, com muita procura não somente dos consumidores como também dos restaurantes, a garantia de que se torne um produto rentável se torna cada vez maior.

Plantas Alimentícias Não Convencionais (Fonte: Follow The Colours/Reprodução)
(Fonte: Follow The Colours)

Entre as Pancs mais famosas está a ora-pro-nóbis, uma cactácea trepadeira que tem alto nível de proteína (25%) e é rica em cálcio, fósforo, ferro e vitaminas A, B e C; e por ter um teor tão alto de proteína, acaba entrando no lugar da carne em algumas dietas. A adaptação da planta é fácil, pois cresce tanto à sombra quanto ao sol, e, além de ser famosa por suas qualidades alimentícias, é usada para fins medicinais.

Até para quem apresenta intolerância ao glúten o uso de algumas Pancs pode ser a solução, já que algumas delas não apresentam tal substância, como a araruta. Geralmente em pó, é bastante utilizada na produção de bolos e pães. Segundo o Instituto Kairós, o consumo das plantas não convencionais varia por espécie e pode ser feito tanto in natura, em sucos ou saladas, quanto processados ou passando por algum tipo de cocção.

Vale lembrar que nem toda Panc é livre de agrotóxico, porque isso depende de quem a produz. Por isso, é importante saber a procedência da planta, pesquisar se o produtor é de confiança e respeita os padrões. Isso é tão importante que o Ministério da Agricultura promove anualmente a campanha Produto Orgânico — Melhor para a vida, com o objetivo de “informar ao consumidor como reconhecer o produto orgânico nos locais de comercialização e estimular que ele participe como agente no controle da qualidade orgânica, melhorando a relação de confiança com os produtores”.

Há um grande potencial nesse mercado, e o Brasil é um ótimo local para o seu desenvolvimento, afinal temos uma flora privilegiada e com inúmeros sabores para serem descobertos.

Curtiu o assunto? Reunimos especialistas e autoridades de diferentes áreas do setor de agronegócios. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fonte: Ministério da Agricultura, Instituto Kairós.

Gostou? Compartilhe!