Dicas para manter o seu rebanho de ovelhas e cabras longe dos predadores

31 de março de 2020 3 mins. de leitura
Incentivos ao aumento de produção para ovinocaprinocultores e recomendações para segurança do rebanho são alternativas para aumentar lucro de produtores

Em 11 anos, o preço médio de venda dos caprinos foi de R$ 63,64 para R$ 153,06, alta nominal de 14% ao ano. Mas o número de ovinos, no período, teve uma leve queda de 2,8%. Para contornar a queda e suprir demanda, em julho de 2019 foi anunciada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) a Política Nacional de Incentivo à Ovinocaprinocultura para o rebanho de ovinos e caprinos e a produção de carne, lã, couro e outros derivados.

A Política Nacional pretende focar também na conscientização e no alinhamento de estratégias e recomendações a produtores, para manter a segurança de rebanhos e animais. Ataques de predadores são uma preocupação na rotina de produtores de caprinos e ovinos; afinal, investidas de onças, raposas, gaviões e outros animais podem causar perdas em rebanhos, com consequentes prejuízos para sistemas de produção. Há outros animais que, mesmo não se classificando como predadores (porque não têm caprinos e ovinos como preferência alimentar), podem atacar rebanhos; dentre eles, estão alguns cães e serpentes venenosas.

(Fontes: Pexels)

Recomendações de manejo

Dois cuidados de manejo são fundamentais para evitar os predadores: recolher os rebanhos para instalações no fim da tarde e protegê-los quando estão em condições mais vulneráveis, como as crias. Os ataques são mais comuns em ambientes de matas ou florestas do que em pastagens. Mesmo assim, reforçar piquetes com telas ou cercas também é útil para bloquear as investidas.

(Fontes: Pexels)

Crias e fêmeas procriadoras merecem cuidado especial, por isso devem ficar mais próximos da atenção do manejador. Uma sugestão é ter locais como piquetes, onde as fêmeas venham a parir perto das instalações da fazenda.

Incentivos da nova política abrangem toda a produção

Ações relacionadas à segurança do rebanho são uma parte da proposta para desenvolver a ovinocaprinocultura, mas as políticas de incentivo também preveem associativismo, regulamentação do cooperativismo, arranjos produtivos locais e contratos de parceria de produção integrada, bem como crédito e seguro para a produção, industrialização e comercialização.

A padronização dos processos tem como objetivo garantir a regularidade no fornecimento da carne e eficiência na produtividade. Essas ações também pretendem melhorar a qualidade de produtos para o consumidor e facilitar a comercialização internacional.

Se interessou pelo assunto? Aprenda mais com especialistas da área no Summit Agro. Enquanto isso, acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fontes: Senado, Embrapa, Mapa

Gostou? Compartilhe!