Cogumelo: os cuidados no cultivo e o crescimento da fungicultura no País

9 de setembro de 2019 3 mins. de leitura
Integração do ingrediente à culinária brasileira impulsiona cultivo

Os cogumelos têm ganhado cada vez mais espaço na culinária brasileira. Antes associados apenas a efeitos alucinógenos ou perigosos por seu caráter venenoso, hoje têm seu uso disseminado nas mais diversas receitas, por isso o seu cultivo tem se tornado um grande negócio para produtores familiares. Segundo a Agência Paulista de Tecnologia do Agronegócio (Apta), estabelecimentos agrícolas de pequeno e médio portes são responsáveis por 80% da produção dos fungos comestíveis no Brasil.

A variedade dos cogumelos também vem se alterando; se antes o único conhecido do público brasileiro era o champignon, hoje temos uma procura cada vez maior por outras espécies, como shitake e shimeji, bastante conhecidos por quem aprecia a culinária japonesa.

O Estado de São Paulo detém o título de maior produtor de cogumelo do País, mas vem enfrentando um concorrente perigoso: a China. Os cultores paulistas têm tentado combater a invasão dos cogumelos chineses investindo em tecnologia e em melhorias nos processos utilizados, permitindo que a fungicultura local consiga concorrer com os preços baixos dos produtos do gigante asiático.

Inicialmente boa parte da produção nacional era vendida em conserva, fato que começou a mudar quando os brasileiros demonstraram mais interesse no uso do alimento fresco, principalmente por ser mais saudável e saboroso. Segundo a Apta, os fungicultores têm relatado crescimento de 40% da renda com a produção de cogumelos frescos em comparação com a produção do alimento em conserva.

Fungicultura (Fonte: Pixabay/Reprodução)

Mas para poder adentrar no mercado da fungicultura é preciso entender que há um grande controle de qualidade na produção. Diversos métodos são utilizados, principalmente para evitar que haja qualquer tipo de contaminação. Um dos principais métodos usados para produção é o cultivo em blocos, que consiste na criação de blocos feitos com serragem e que, após passarem por um processo de irrigação, recebem nutrientes para garantir um crescimento mais acelerado dos fungos.

Com grande controle tanto de temperatura quanto de umidade, os blocos são esterilizados e postos em prateleiras onde recebem as sementes dos cogumelos. Esse processo é eficiente pois simula o habitat em que o fungo originalmente se desenvolve. Todo esse processo é feito sempre da maneira mais higiênica possível, impedindo que qualquer tipo de contaminação ocorra, por isso o ambiente é muito bem controlado.

Apesar de um ser um mercado ainda jovem no nosso país, é um setor muito promissor da agricultura. O Brasil é conhecido pela sua miscigenação, e a fungicultura é mais um ingrediente desse caldeirão cultural.

Curtiu o assunto? Reunimos especialistas e autoridades de diferentes áreas do setor de agronegócios. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fonte: Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios.

Gostou? Compartilhe!