5 soluções para acabar com o desmatamento da Amazônia

16 de março de 2020 3 mins. de leitura
Aumento da fiscalização e eliminação do mercado ilegal de carne são algumas delas

De acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), divulgados pelo Estadão em 2019, a Amazônia perdeu uma área total de 762 mil km² — número equivalente a 17 Estados do Rio de Janeiro. A estimativa é de que 42 bilhões de árvores adultas tenham sido cortadas. Com esse cenário, diversas medidas começaram a surgir nos últimos anos para tentar controlar as queimadas e destruição das florestas.

O Summit Agro será online e gratuito. Inscreva-se agora!  

De acordo com o pesquisador do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) Paulo Barreto, o desmatamento deve ser zerado a fim de que os biomas brasileiros, especialmente o cerrado, sejam preservados. Para isso, o profissional indica uma série de ações que, se aplicadas, vão contribuir para o fim do desmatamento no Brasil. Confira:

Instituir o imposto rural

A especulação fundiária é um dos principais motivos para o desmatamento ilegal na Amazônia. Um cidadão com posses faz a derrubada de florestas em áreas públicas como forma de ocupar o território para, posteriormente, realizar a regularização. Para combater esse mal, a medida adotada deve ser a maior efetividade na cobrança do Imposto Territorial Rural (ITR), taxa brasileira federal aplicada quando uma pessoa tem posse de um perímetro rural.

Ampliar a moratória da soja para o cerrado

A moratória da soja é um pacto ambiental entre produtores de soja no País, ONGs ambientais e o governo, que se uniram para adotar medidas contra o desmatamento. O projeto proíbe a aquisição do grão que seja cultivado em áreas recém-desmatadas na Amazônia. Desde que entrou em vigor, o plano triplicou o bioma amazônico, tornando-se uma medida eficaz e viável para a preservação da área.

(Fonte: Freepik)

Eliminar o mercado de carne ilegal

Grande parte da carne consumida no Brasil é proveniente de uma área desmatada. Isso significa que diversos pecuaristas não cumprem as leis e destroem as florestas para construir áreas de criação de animais. Para extinguir a prática, é possível utilizar uma tecnologia que rastreia a origem da carne.

Aumentar a fiscalização do crédito para a agricultura

De acordo com o Código Florestal, pessoas físicas ou empresas que praticaram desmatamento ilegal não podem ter acesso ao crédito subsidiado para agricultura. O aumento da fiscalização vai garantir que cidadãos que estejam na ilegalidade percam o direito ao benefício, dificultando atuações prejudiciais ao bioma amazônico.

(Fonte: Freepik)

Definir novas medidas de combate ao desmatamento

O setor público, em parcerias com ONGs que atuam na causa ambiental, devem propor constantemente novas medidas ou atualizações que contribuam com o fim do desmatamento e driblem as recentes tentativas de continuar a degradação das florestas, como o desmatamento em períodos de chuvas — que evita a fiscalização por satélite.

Participe do debate sobre sustentabilidade no agronegócio. É online e gratuito. Inscreva-se agora!

Fonte: Amazonia.org; Observatório do clima