Conheça o evento

Os 4 maiores desafios da exportação de produtos agrícolas brasileiros

Entenda quais são as barreiras que o agronegócio precisa superar para exportar nossos produtos

Os 4 maiores desafios da exportação de produtos agrícolas brasileiros
15/08/2019 • 2 min. de leitura

O agronegócio brasileiro é responsável por uma importante fatia do PIB (produto interno bruto) nacional. Segundo o Ministério da Agricultura, o agronegócio é responsável por um em cada três empregos no Brasil e 21,6% do PIB. Apesar da grande relevância do setor, ainda há inúmeros desafios a serem superados. Listamos aqui 4 fatores que dificultam a exportação de mais produtos agrícolas.

1. Infraestrutura

O escoamento dos produtos do agronegócio é feito em sua maioria através da malha rodoviária e, por isso, a qualidade das rodovias brasileiras afeta diretamente as nossas exportações. Isso se deve ao fato de problemas de infraestrutura causarem atrasos, perda de produtos e um alto custo logístico, por consequência, esse valor precisa ser repassado às mercadorias que acabam sendo menos competitivas no mercado exterior.

2. Desigualdade de oferta de crédito e de incentivo ao uso de tecnologia

Segundo a Embrapa, a desigualdade de produtividade e renda no campo é um dos desafios que o agronegócio precisa superar. Para o instituto, isso se deve a não adoção de tecnologias e dificuldade de acesso a políticas de fomento e financiamento da produção.

Pequenos produtores acabam não conseguindo adotar tecnologias que melhoram a produção devido ao alto custo de implementação, à pouca oferta de políticas públicas de incentivo ao uso de tecnologias e à baixa escolaridade. Segundo os pesquisadores da CNI/NAPC da PUC-Rio, produtores com um mesmo perfil podem ter acesso a financiamentos com taxas muitos distintas a depender da região em que estão localizados.

Pequenos Produtores Brasileiros (Fonte: Pixabay/Reprodução)

3. Mudanças no cenário internacional

As exportações do setor agrícola brasileiro estão fundamentalmente ligadas a dois países: Estados Unidos e China. Logo, mudanças econômicas nesses dois mercados podem trazer problemas para o agronegócio brasileiro. Além disso, os Estados Unidos possuem diversos programas de incentivo aos produtores nativos, fazendo com que seus produtos sejam mais competitivos tanto dentro do seu território quanto fora dele.

Nesse sentido, o ideal seria firmar novos acordos comerciais e encontrar novos mercados, pois assim, estaríamos menos suscetíveis a possíveis oscilações do mercado chinês e americano.

4. Aumento da preocupação ambiental

A preocupação com as questões ambientais vem aumentando a nível global, dessa forma, é preciso que os produtores brasileiros estejam alinhados com essa tendência e busquem produzir respeitando cada vez mais o meio ambiente. A Embrapa aponta que em apenas 2,7 milhões de hectares no Brasil seguem-se os procedimentos sugeridos no sistema conservacionista conhecido como Plantio Direto.

Os problemas relacionados a não adoção de práticas sustentáveis de manejo incluem erosão hídrica e compactação do solo o que pode levar a menor produtividade e até mesmo a embargos de países como a Alemanha, que recentemente criticou as políticas de preservação adotadas pelo Brasil.

Como você viu, os desafios apresentados são grandes e precisam ser encarados de frente, mas é possível acreditar em dias melhores, afinal, o agronegócio brasileiro é um setor forte e que já provou inúmeras vezes sua capacidade de renovação.

Curtiu o assunto? Reunimos especialistas e autoridades de diferentes áreas do setor de agronegócios. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fonte: Ministério da Agricultura.