Trigo transgênico: entenda a polêmica que divide o mundo agro

15 de junho de 2021 4 mins. de leitura
Trigo transgênico coloca indústria de farinhas e de panificação em posição oposta a empresas desenvolvedoras de sementes e decisão sobre liberação é adiada

Conheça o mais relevante evento sobre agronegócio do País

A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio), ligada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Telecomunicações (MCTI), adiou a análise sobre a importação e a comercialização do trigo HB4 — que estava prevista para junho. Com isso, a decisão sobre a liberação do produto no Brasil deve ficar para agosto.

O trigo HB4 é um organismo geneticamente modificado (OGM) e oferece como vantagem a alta resistência à falta de água. A característica poderia contribuir para que o Brasil ampliasse a oferta do cereal, atingisse a autossuficiência, garantindo, assim, a segurança alimentar. Atualmente, o País importa mais da metade do trigo necessário para atender à demanda interna.

A aprovação do trigo transgênico, entretanto, está cercada de polêmica. Entidades do agronegócio, organizações ambientais e da área de saúde são contrárias à liberação. Em nota, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria do Trigo (Abitrigo), a inovação não traz “benefícios evidentes às pessoas, sendo objeto exclusivo de busca de aumento de produtividade do campo”.

Leia mais:

Trigo: como será o mercado do grão em 2021?

Transgênicos: vantagens e riscos desses alimentos

Cautela, caldo de galinha e a excelência da CTNBio

Característica do trigo transgênico

Semente modificada geneticamente promete aumentar a produção de cereal em meio a falta de água. (Fonte: Shutterstock/luchschenF/Reprodução)
Semente modificada geneticamente promete aumentar a produção de cereal em meio a falta de água. (Fonte: Shutterstock/luchschenF/Reprodução)

A Biocers, responsável pelo desenvolvimento do trigo HB4, afirma que o OGM é capaz de aumentar, em média, 20% a produtividade do cereal durante as estações de cultivo impactadas pela seca.

O HB4, segundo a empresa, também facilita o cultivo duplo, que alterna sazonalmente a soja e o trigo, e que hoje é limitado pela disponibilidade de água. A semente modificada geneticamente, quando cultivada com práticas regenerativas do solo, também seria capaz de capturar mais carbono do que as convencionais.

A autorização regulatória do trigo transgênico no Brasil segue a aprovação da soja HB4, que foi liberada por autoridades brasileiras, dos Estados Unidos e da Argentina, segundo a empresa. A Biocers afirma ainda que o trigo modificado também está sendo analisado nos Estados Unidos, no Uruguai, no Paraguai e na Bolívia.

Oposição à liberação

Entidades temem que HB4 possa aumentar o uso de agrotóxicos, que podem provocar câncer, de acordo com a OMS. (Fonte: Shutterstock/Marcel Poncu/Reprodução)
Entidades temem que HB4 possa aumentar o uso de agrotóxicos, que podem provocar câncer, de acordo com a OMS. (Fonte: Shutterstock/Marcel Poncu/Reprodução)

Um ofício enviado à CNTBio pelo Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público do Trabalho (MPT), Campanha Contra os Agrotóxicos e pela Vida, Articulação Nacional de Agroecologia (ANA) e Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) argumenta a falta de transparência na discussão da aprovação.

Em nota, de acordo com a Abitrigo, a inovação não traz “benefícios evidentes às pessoas, sendo objeto exclusivo de busca de aumento de produtividade do campo”. Para a entidade, o trigo é diferente da soja e do milho, duas culturas com produção transgênica autorizada e que são usadas para alimento animal.

Uma das principais preocupações dos opositores é a maior resistência do HB4 ao agrotóxico glufosinato de amônio, classificado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como potencialmente cancerígeno e proibido na Europa, bem como na maioria dos países desenvolvidos.  

Não perca nenhum fato que acontece no agronegócio. Inscreva-se em nossa newsletter.

Fonte: Biocers Crop Solutions, Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio), Estadão.

Este conteúdo foi útil para você?

150202cookie-checkTrigo transgênico: entenda a polêmica que divide o mundo agro

Canal Agro