Fumo: Brasil investe no solo para potencializar produção

30 de outubro de 2020 3 mins. de leitura
Fertilizantes minerais à base de cálcio e enxofre podem aumentar a produtividade em 17% nas lavouras, indica estudo

Quer impulsionar seus negócios? Se inscreva no Summit Agronegócio, evento que reúne os maiores especialistas em agro do País.

***

O Brasil é o segundo maior produtor mundial de fumo para cigarros — com 686 mil toneladas colhidas na safra de 2018/2019 (perdendo apenas para a China). Segundo os dados da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), 96,8% da produção de fumo vêm do Sul do país, que também é responsável por 10% de toda a produção mundial de tabaco.

A fumicultura é uma prática que sustenta cerca de 160 mil famílias brasileiras e gera cifras próximas dos R$ 6 bilhões por ano para os cofres nacionais. A cada temporada, todo produtor espera extrair o máximo de produtividade de suas terras e fornecer um produto de alta qualidade para o mercado, o que tem moldado algumas transformações no setor.

Investimentos na qualidade do solo

Região Sul detém monopólio de mais de 90% da produção nacional de tabaco. (Fonte: Shutterstock)
Região Sul detém monopólio de mais de 90% da produção nacional de tabaco. (Fonte: Shutterstock)

Recentemente, um novo estudo realizado no município de Vidal Ramos, em Santa Catarina, encontrou uma solução diferente para elevar a produtividade das lavouras: o uso de fertilizantes minerais. 

De acordo com os pesquisadores, muitas áreas de plantio focam em macronutrientes do tabaco, como o nitrogênio e o potássio, mas se esquecem da importância do cálcio e do enxofre.

A aplicação de fertilizantes minerais à base desses dois elementos, em sua forma líquida (sulfato), em plantios de Santa Catarina e do Paraná resultou em um crescimento significativo da produtividade das plantas e também em sua qualidade.

Enquanto as lavouras sem qualquer mudança na adubação tiveram média de 2.366 kg/ha, as áreas que receberam aplicação de 200 kg/ha de sulfato de cálcio granulado observaram uma produtividade média de 2.771 kg/ha — 17% a mais de rendimento por hectare.

Benefícios da adubação química para o fumo

A suplementação de cálcio e enxofre pode ajudar no crescimento do fumo de qualidade. (Fonte: Shutterstock)
A suplementação de cálcio e enxofre pode ajudar no crescimento do fumo de qualidade. (Fonte: Shutterstock)

A equipe de pesquisa pode observar que, durante o processo de adubação com sulfato de cálcio, as culturas de fumo absorvem em média 135 kg/ha de cálcio e 24 kg/ha de enxofre. A adubação química logo demonstra resultados, e as plantas aparentam crescer mais vigorosas e saudáveis.

O sistema radicular, que é responsável por garantir o suprimento de água e nutrientes às plantas, também se fortalece e consegue procurar recursos em camadas mais profundas do solo, o que facilita para o fumo ganhar mais peso durante o seu crescimento.

Outro ponto importante a se destacar são as propriedades repelentes de cloro encontradas no material químico utilizado para adubar as lavouras no Sul do Brasil. Em culturas sensíveis ao cloro, como é o caso do fumo, uma concentração maior que 1% da substância nas folhas pode gerar um produto de baixa qualidade e subdesenvolvido.

Quer saber mais sobre como melhorar o desenvolvimento da plantação de fumo? Inscreva-se no Summit Agro, evento que reúne os maiores especialistas em agronegócio do Brasil.

Fonte: Notícias Agrícolas, Afubra e INCA.