Cursos online para quem trabalha no agronegócio

4 de maio de 2020 4 mins. de leitura
Produtores podem aproveitar o isolamento para conter o novo coronavírus e se aperfeiçoar sem sair de casa

Todos os setores da sociedade foram afetados, de alguma maneira, pelas medidas de isolamento social necessárias para conter o avanço do novo coronavírus. No agronegócio não foi diferente, embora alguns ramos tenham sido mais impactados do que outros. É o caso das indústrias de máquinas agrícolas e dos fornecedores de alimentos para food service (bares e restaurantes), por exemplo, que tiveram quedas sensíveis em suas atividades.

O maior tempo disponível, em alguns casos, pode ser aproveitado com cursos gratuitos de aperfeiçoamento. Instituições como a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) estão oferecendo treinamentos online sem custo para várias áreas do agronegócio, englobando as mais diversas culturas agrícolas e técnicas de cultivo.

É interessante observar que, mesmo com as medidas de isolamento social, o agronegócio não parou totalmente: a colheita de café deve seguir normalmente em abril; a safra de cana-de-açúcar deve ser ainda maior do que a anterior; e as autoridades estão orientando os produtores sobre como manter a produção e o abastecimento de alimentos com segurança durante a pandemia. De qualquer maneira, até mesmo os trabalhadores dos setores menos impactados pelo novo coronavírus podem aproveitar a oferta de cursos gratuitos para se aperfeiçoar.

Embrapa

A Embrapa, que realiza pesquisas e desenvolve inovações em dezenas de áreas de agricultura e pecuária, disponibilizou treinamentos gratuitos na plataforma e-Campo. A procura pelos cursos está grande, e alguns, como Sistemas agroflorestais para pequenas propriedades no semi-árido, Recuperação de pastagens degradadas e Irrigaweb, tiveram mais de 7 mil vagas esgotadas em abril.

A instituição sempre abre novas turmas, e vale a pena ficar de olho no site para conferir as novidades. Além dos treinamentos citados, há vários outros, como Potencial agronômico dos dejetos de suínos, Biodiesel e ABCWeb: Agricultura de Baixo Carbono. As informações completas sobre cada um dos cursos podem ser acessadas na e-Campo.

Portal e-campo, da Embrapa, oferece cursos online gratuitos
(Fonte: Embrapa/Reprodução)

Senar

Criado em 1991, o Senar é uma entidade do Sistema S ligada à Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Além de oferecer cursos para trabalhadores rurais em todo o Brasil, tem um braço de Educação a Distância (EaD) com cursos gratuitos.

São mais de 50 opções disponíveis em cerca de 20 áreas, ou programas, que compreendem os mais variados setores do agronegócio, desde manejo de pastagens, ovinocultura e suinocultura até questões mais avançadas, como agricultura de precisão e gestão de negócios. Também é possível encontrar conteúdos sobre outros assuntos importantes, como inclusão digital e qualidade vida.

Segundo a instituição, todos os treinamentos podem ser feitos gratuitamente a qualquer momento e por pessoas de todo o Brasil. São oferecidos certificados para quem atingir os requisitos de conclusão dos cursos online.

Senar EAD oferece cursos online sobre diferentes áreas do agronegócio
(Fonte: Senar/Reprodução)

Outras plataformas

Também é possível encontrar cursos direcionados aos trabalhadores do agronegócio em outras plataformas, como a Learn Cafe, que oferece mais de 30 treinamentos gratuitos sobre agricultura familiar, agroecologia, compostagem e diversos outros.

Já no portal do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), os produtores podem se aperfeiçoar em outros assuntos que não são diretamente relacionados com a produção agropecuária, mas são importantes para o agronegócio, como planejamento, empreendedorismo e gestão.

Se interessou pelo assunto? Aprenda mais com especialistas da área no Summit Agro. Enquanto isso, acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fonte: Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Embrapa e Sebrae.

Gostou? Compartilhe!