Como a agricultura pode ajudar a reduzir a crescente fome no Brasil?

8 de abril de 2021 4 mins. de leitura
Em meio a pandemia, 116,8 milhões de pessoas estão em situação de insegurança alimentar, e 19 milhões passam fome

Conheça o mais relevante evento sobre agronegócio do País

A fome está voltando a ser sentida no Brasil, especialmente em decorrência da crise econômica e sanitária. Mais de 116 milhões de brasileiros não têm garantia de comida na mesa, segundo pesquisa da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan). Entretanto, a agricultura pode ajudar a diminuir esse problema.

O Brasil chegou a ganhar prêmios das Nações Unidas por ter um dos mais importantes e integradores modelos de segurança alimentar no começo deste século, tornando-se exemplo em todo o mundo. O País conseguiu fazer que menos de 1% de sua população estivesse exposta à insegurança alimentar e nutricional.

O Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 foi realizado em 2.180 domicílios nas cinco regiões do país, em áreas urbanas e rurais, entre 5 e 24 de dezembro de 2020.

Aceleração da fome

Brasil teve 9% de sua população em situação de insegurança alimentar grave em 2020. (Fonte: Shutterstock/StanislauV/Reprodução)
Brasil teve 9% de sua população em situação de insegurança alimentar grave em 2020. (Fonte: Shutterstock/StanislauV/Reprodução)

Em 2020, o número de pessoas em insegurança alimentar grave alcançou 19 milhões, quase o dobro de 2018, quando foram registrados 10,3 milhões de brasileiros nessa situação. No último ano, 9% da população brasileira passou fome, a maior taxa desde 2004, quando o índice chegou a 9,5%. Nos últimos três anos, houve uma aceleração da fome, com um crescimento anual de 27,6%, enquanto entre 2013 e 2019 o aumento era de 8% ao ano.

No primeiro trimestre de 2021, a situação pode ter piorado mais, com a escalada da inflação do preço de alimentos e do gás de cozinha, enquanto a renda emergencial reduzida ainda estava sem liberação.

A incidência da fome é maior nas casas onde a renda per capita é de meio a um salário mínimo, as que são chefiadas por mulheres e por negros. Nos domicílios chefiados por mulheres, existe fome em 11,1%, enquanto nos chefiados por homens, o índice reduz para 7,7%. Pessoas pretas ou pardas enfrentam insegurança alimentar grave em 10,7% dos lares, contra 7,5% entre os brancos.

Leia também:

Saiba como a rastreabilidade pode fomentar a agricultura familiar
O agronegócio e as futuras gerações
Agricultores familiares terão acesso a programa digital de informação

Suporte à agricultura familiar

Agricultura familiar emprega 67% do total de pessoas ocupadas na agropecuária. (Fonte: Shutterstock/Alf Ribeiro/Reprodução)
Agricultura familiar emprega 67% do total de pessoas ocupadas na agropecuária. (Fonte: Shutterstock/Alf Ribeiro/Reprodução)

A situação de insegurança alimentar e nutricional só poderá ser revertida por um Plano Nacional de Alimentação, com a adoção de políticas públicas que reduzam o desequilíbrio entre a produção industrial de alimentos voltada para a exportação e o apoio às pequenas e médias cooperativas, além da agricultura urbana comunitária.

Cerca de 4,5 milhões de famílias dependem de políticas como o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), o programa de cisternas e o Bolsa-Família ou a recente Renda Básica Emergencial. O PAA, por exemplo, chegou a ter, em seu auge, um orçamento de R$ 1,5 bilhão. Hoje esse orçamento não chega a R$ 100 milhões.

A redução da assistência a esses pequenos agricultores, como a suspensão de liberação de recursos do Programa Nacional de Fortalecimento à Agricultura Familiar (Pronaf), tem um efeito duplo sobre o aumento da pobreza e, consequentemente, da fome: além de deixar de produzir alimentos em suas lavouras, parte considerável desse contingente de desassistidos acaba migrando para centros urbanos em busca de postos de trabalho cada vez mais escassos.

Não perca nem um fato que acontece no agronegócio. Inscreva-se em nossa newsletter.

Fonte: Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar (Rede Penssan), Agência Brasil, Politize, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). 

Este conteúdo foi útil para você?

139782cookie-checkComo a agricultura pode ajudar a reduzir a crescente fome no Brasil?

Canal Agro