Gripe aviária altamente patogênica é registrada nos EUA

USDA confirmou caso de gripe aviária H7N3 em criação de perus em Chesterfield, na Carolina do Sul

Gripe aviária altamente patogênica é registrada nos EUA
13/05/2020 • 2 min. de leitura

O departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) confirmou a presença de influenza aviária do tipo H7N3 em uma granja de perus na Carolina do Sul, Estados Unidos. De acordo com dados oficiais, esse é o primeiro registro da doença em aves comerciais no país desde 2017.

Segundo a USDA, o vírus encontrado é resultado de uma mutação de outro tipo de vírus, que apresentava um menor potencial de patogenicidade do que o atual. A entidade também ressaltou que não há casos de infecção do vírus em humanos. Sendo assim, não há riscos imediatos para a saúde pública.

Respostas e precaução

(Fonte: Shutterstock)

Após a constatação da gripe aviária altamente patogênica no país, as autoridades dos Estados Unidos se prontificaram para notificar a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e demais países negociantes.

As instalações afetadas pela doença foram colocadas em isolamento e quarentena total, além de seguir os procedimentos de higienização e desinfecção. As granjas foram despovoadas para impedir a disseminação da doença.

Os métodos de contenção devem ser seguidos rigorosamente diante da preocupação do país em evitar outra crise histórica como a que ocorreu entre 2014 e 2015, onde a gripe aviária matou cerca de 50 milhões de aves, afetando significativamente a produção de ovos do país.

Posicionamento do Brasil

(Fonte: Shutterstock)

De acordo com José Guilherme Leal, secretário da defesa agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), as autoridades brasileiras que são responsáveis por esse setor já estão analisando o caso, para enfim definir se as medidas de restrição serão ou não necessárias no caso da importação de material genético de aves provenientes dos Estados Unidos.

O ministério também ressalta que não há casos de gripe aviária altamente patogênicas nas granjas comerciais brasileiras. Para manter esse cenário, o Ministério da Agricultura realiza o monitoramento das aves silvestres, visando evitar o contato e a propagação de possíveis doenças para as aves de criação em granjas comerciais.

Se interessou pelo assunto? Aprenda mais com especialistas da área no Summit Agro. Enquanto isso, acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fonte: Money Times.