Conheça o evento

Cultivo protegido aumenta produtividade da cultura de hortaliças

Cercar os vegetais ajuda a diminuir impacto negativo do clima na produção, protegê-los do ataque de pragas e garantir a qualidade do solo

Cultivo protegido aumenta produtividade da cultura de hortaliças
28/03/2020 • 3 min. de leitura

O cultivo protegido é uma técnica em que o microclima na área ao redor da planta é controlado parcial ou totalmente. O método é usado para proteger a colheita, especialmente de temperaturas muito baixas ou altas, tempestades de granizo e chuvas fortes. Essa tecnologia também é útil para proteger as plantas contra pássaros e insetos e conservar a umidade do solo.

Com isso, agregam-se diferenciais de qualidade, produtividade e valor de mercado aos vegetais. Além disso, possibilita que os produtores ofereçam ao mercado os itens mesmo na entressafra, época em que o desenvolvimento dos cultivos ao ar livre é prejudicado.

Os locais ideais para uma estufa são aqueles com alta intensidade de luz e temperaturas moderadas no inverno, baixa umidade e fácil acesso aos mercados. É aconselhável evitar proximidade com árvores ou edifícios que possam sombrear a estrutura, embora os quebra-ventos ajudem a reduzir os custos de aquecimento se localizados adequadamente.

(Fonte: Freepik)

Quatro fatores principais devem ser considerados para a construção de uma estufa: tipo de cultivo, limitações de carga, penetração de luz e custo. O tipo de cultura é o que determina quanta penetração de luz, aquecimento e resfriamento são necessários.

Dois são os tipos mais comuns de materiais para a estrutura: plástico e vidro. As opções de plástico têm várias vantagens sobre as de vidro, principalmente no custo. O plástico também é adaptado a vários projetos, geralmente resistente à quebra, leve e relativamente fácil de aplicar.

A regulação da temperatura do ar no espaço é importante para o crescimento vegetativo e a frutificação. O resfriamento com efeito de estufa também é essencial, pois o evaporativo é a maneira mais eficiente e econômica de reduzir a temperatura. A ventilação adequada reabastece o dióxido de carbono e controla a umidade relativa do ar, que, ao estar acima de 90%, favorece o surgimento de doenças e problemas de condensação no telhado interno.

As estufas devem ter aberturas laterais para fornecer ventilação e resfriamento, que precisam ser instaladas o mais alto possível nas paredes. Pode ser necessário sombreamento no fim da primavera ou no início do verão se as temperaturas diurnas ficarem muito altas; no entanto, os compostos de sombra devem ser removidos quando o clima frio se aproximar.

Como preparar o solo no cultivo protegido de hortaliças

A maneira mais fácil de iniciar a produção de hortaliças com cultivo protegido é usar o solo existente no local, desde que seja bem drenado. Os terrenos podem ser melhorados com a aplicação de grandes quantidades de estrume e devem ser esterilizados com vapor a 80°C por quatro horas seguidas pelo menos duas vezes por semana antes do plantio. Deve-se evitar a lavoura profunda após a esterilização, para impedir a reintrodução de organismos de sementes e doenças de plantas daninhas abaixo da zona de esterilização ou fumigação.

Um teste de solo deve ser realizado antes do plantio para determinar a quantidade de fertilizante a ser usada em cada colheita; fósforo e potássio devem ser aplicados antes do plantio e incorporados diretamente no solo; os compostos nitrogenados podem ser usados como revestimentos laterais ou através de um sistema de irrigação por gotejamento e devem ser aplicados em duas parcelas, parte antes do plantio e o restante conforme o necessário durante a estação de crescimento.

Cultura hidropônica

(Fonte: Freepik)

No cultivo protegido, existem duas formas de plantio: convencional, diretamente na terra, e hidropônico, conhecido por envolver o uso de água. A cultura hidropônica protegida permite a produção em areia, cascalho ou misturas artificiais de solo em sacos, tubos, banheiras, tanques ou valas projetadas para permitir a circulação da solução nutritiva necessária para o crescimento das plantas.

Diferentemente da convencional do solo, a cultura hidropônica de hortaliças é menos tolerante e requer manejo intenso. Embora os atuais sistemas de automação possam minimizar as entradas de fertilização e mão de obra de irrigação, o monitoramento contínuo do sistema é importante. Os produtores devem ter alto conhecimento sobre crescimento, equilíbrio de nutrientes, características dos meios culturais e fisiologia das plantas. No entanto, a hidroponia permite a cultura em áreas em que os solos não são adequados para a produção de hortaliças.

Se interessou pelo assunto? Aprenda mais com especialistas da área no Summit Agro. Enquanto isso, acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fontes: Science Direct;  Cepea