Conheça o evento

Consórcio entre mandioca e melancia aumenta renda do pequeno produtor

Produção conjunta traz mais segurança para agricultores, além de melhor aproveitamento da terra

Consórcio entre mandioca e melancia aumenta renda do pequeno produtor
22/05/2020 • 2 min. de leitura

Pesquisas realizadas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em um campo experimental de Boa Vista (RR) mostraram aos produtores de melancia da região que podem utilizar melhor a terra, aumentar a renda e ter mais segurança na produção se plantarem mandioca com as frutas. Para chegar a essa conclusão, foram realizadas experiências ao longo de três anos em diversas épocas de plantio e em diferentes arranjos de espaço na lavoura.

Segundo os estudos, o consórcio entre as duas culturas funciona de forma simples, mas bastante efetiva: os agricultores podem cultivar a mandioca em meio às linhas de plantação da melancia, aproveitando a mesma adubação e irrigação. Assim, a raiz gera poucas despesas, não prejudica o crescimento das frutas e contribui com renda extra de até 65%, de acordo com a Embrapa.

Fonte: Clarice Rocha/Embrapa
(Fonte: Clarice Rocha/Embrapa)

Aumento de renda e estabilidade para o produtor

Além de não prejudicar a produção da fruta, a mandioca a torna mais segura. Isso porque as novas plantas aumentam o sombreamento na melancia e quebram o ciclo de pragas que as atacam.

De acordo com o pesquisador da Embrapa que conduziu os experimentos em Roraima, Roberto Dantas, as infestações são um grande problema no cultivo de melancias, uma vez que sua época coincide com temporadas de estiagem: "Nesse período, há um favorecimento ao aumento das pragas dessa cultura, com elevação das perdas". Dessa maneira, plantar a macaxeira em meio às frutas aumentaria a proteção e, consequentemente, diminuiria os prejuízos.

Também é interessante observar que a macaxeira configura uma segunda fonte de renda para os agricultores que adotam a produção consorciada. Assim, mesmo que ocorra perda de melancias, há outro produto que pode ser vendido. Segundo Admar Bezerra, agrônomo da Embrapa Roraima, esse tipo de plantação diminui o risco do investimento se comparado a uma aplicação exclusiva na melancia.

E a raiz pode ser comercializada entre as safras da fruta. "O ciclo da melancia varia de dois a três meses; assim, durante o período que não houver produção de frutos, o agricultor terá renda extra com o cultivo da macaxeira, que apresenta ciclo mais longo, de 12 a 24 meses", explica Dantas.

Fonte: Wikimedia Commons
(Fonte: Wikimedia Commons)

Eficácia comprovada em números

Para confirmar o aumento de renda proporcionado pelo consórcio entre melancia e mandioca, a Embrapa realizou cálculos envolvendo custos de produção e renda obtida com as duas plantas. Nos três anos da pesquisa, entre 2013 e 2016, o sistema combinado obteve receita líquida de R$ 16.264,50 por hectare, sendo R$ 9.834,50 com a melancia e R$ 6.430 com a mandioca.

O custo de produção da segunda planta — portanto, o custo adicional ao produtor para realizar o consórcio — foi de R$ 1.900 por hectare. Sendo assim, a conclusão do estudo da Embrapa é que a produção conjunta da fruta e do tubérculo gera aumento substancial de renda para os produtores, além de diminuir os riscos da atividade, configurando um ótimo investimento.

Se interessou pelo assunto? Aprenda mais com especialistas da área no Summit Agro. Enquanto isso, acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fonte: Embrapa.