Governo fecha acordo de exportação de gergelim para Índia

18 de março de 2020 3 mins. de leitura
Acordo foi firmado durante o Seminário Business Day Brasil-Índia, organizado pela Apex-Brasil em Nova Délhi

Em intercâmbio firmado durante seminário, o Brasil passará a exportar gergelim para a Índia e importar sementes de milho. As vendas nacionais de sementes de gergelim somaram US$ 3,7 milhões em 2018 e US$ 25,4 milhões em 2019, o que significou incremento de 596%. No ano passado, os principais destinos foram Vietnã (25%), Guatemala (15%), Turquia (12%) e Arábia Saudita (12%).

Sementes de gergelim
(Fonte: Pixabay)

Para a Índia, o Brasil exportou US$ 28,8 mil em sementes e frutos oleaginosos, enquanto importou US$ 12,7 milhões do mesmo grupo de produtos, fechando a balança comercial com o país, nessa categoria, em um saldo negativo de US$ 12,6 milhões. Com o acordo para a exportação de gergelim, o governo federal espera equilibrar o comércio, que em números gerais — incluindo todas as categorias de exportação — fechou 2019 com saldo negativo de US$ 2,7 bilhões.

Tereza Cristina, mMinistra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, comemorou o acordo e ressaltou a importância para o País, tendo a perspectiva de que essa transação abra portas para futuras negociações. “Estamos abrindo para a Índia as exportações de semente de milho, levando tecnologia indiana para o Brasil. Isso será muito importante para o começo da cooperação entre os nossos governos”, declarou ela.

Acordo como possibilidade para projeção mundial

Representantes do governo federal em seminário na Índia
(Fonte: Mapa)

Segundo Tereza Cristina, o Brasil tem condições de atender de forma sustentável aos mercados doméstico e externo, contribuindo para garantir a segurança alimentar e nutricional global. A ministra ressaltou, ainda, que o País é uma potência agropecuária e ainda tem espaço para crescer. “Continuarei a divulgar a imagem internacional da agricultura brasileira para apresentá-la exatamente como ela é: inovadora, dinâmica, responsável, lucrativa e sustentável”, explicou. Para ela, o crescimento da atividade agropecuária e a sustentabilidade ambiental não são ideias conflitantes.

A ministra afirmou que a agricultura é um dos setores mais afetados pelos efeitos das mudanças climáticas, e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) tem incentivado práticas de produção de baixa emissão de carbono. “Buscamos crescer preservando os recursos ambientais. Queremos concretizar nossa vocação e nos tornarmos, efetivamente, uma potência agroambiental global”, destacou.

Diversificação da produção

Ministra Tereza Cristina
(Fonte: Guilherme Martimon/Mapa)

Com 7% de participação no comércio mundial agrícola, o Brasil é o terceiro maior exportador desses produtos no mundo, tendo açúcar, café, soja e suco de laranja como principais ativos na comercialização. O investimento para diversificação da produção nacional com foco em exportação é a aposta do governo federal para ampliar a presença no exterior.

“O governo brasileiro vê com bons olhos todo investimento voltado à diversificação da produção nacional e à ampliação de mercados”, declarou a ministra no Seminário Business Day Brasil-Índia, organizado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) em Nova Délhi.

Se interessou pelo assunto? Aprenda mais com especialistas da área no Summit Agro. Enquanto isso, acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fonte: Ministério da Agricultura, Siscomex

Gostou? Compartilhe!