Agrofloresta ajuda a recuperar produção de erva-mate no MS

O Mato Grosso do Sul produz bem menos erva-mate do que consome, mas a diversificação por meio de agroflorestas prevê melhoria no cenário

Agrofloresta ajuda a recuperar produção de erva-mate no MS
30/03/2020 • 2 min. de leitura

De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a plantação de erva-mate no Mato Grosso do Sul não cobre o próprio uso, já que o estado cultiva menos de 20% do que consome de erva-mate. Além disso, a produção diminuiu de forma acentuada nas últimas décadas, e entre as causas estão o baixo rendimento dos ervais, a qualidade genética inferior das mudas e o pequeno índice de sobrevivência no campo.

Para aumentar a capacidade produtiva e agregar boas práticas de cultivo com foco na sustentabilidade, surgiram ações como o programa Erva20, da Embrapa Florestas, e técnicas de plantio, como os sistemas agroflorestais diversificados (SAFs).

(Fonte: Pixabay)

O Erva20 tem como objetivo levar informação aos produtores rurais a fim de que consigam aumentar a produtividade de erva-mate por hectare. Já os SAFs são formas de uso da terra que combinam o plantio de árvores e arbustos com cultivos agrícolas, com base em princípios agroecológicos.

Agrofloresta pode reavivar cultura da erva-mate no MS

O sistema de agrofloresta prevê o consórcio de espécies nativas com culturas agrícolas. Essa técnica pode ajudar a mudar o cenário da produção de erva-mate no estado, uma vez que seus impactos são de longo prazo. Com o manejo adequado e consorciado entre cultivo e floresta, é possível proteger a plantação, enriquecer o solo, otimizar a produção agrícola e ainda ser sustentável.

(Fonte: Pixabay)

Os SAFs também podem recuperar áreas degradadas e restaurar florestas, aumentando as potenciais áreas de cultivo. Esses sistemas são permitidos em:

  • Áreas de Reserva Legal (ARL) — As áreas dentro de um imóvel rural que mantém sua vegetação nativa, seguindo orientação da Lei n. 12.651/2012;
  • Áreas de Preservação Permanente (APP) — Áreas protegidas, cobertas ou não por vegetação nativa, com a função ambiental de preservar os recursos hídricos, a paisagem, a estabilidade geológica e a biodiversidade, garantidas também pela Lei n. 12.651/2012.

Nos dois casos, a permissão é válida para pequenas propriedades ou de posse rural familiar. SAFs também são possíveis em Áreas de Uso Restrito (AUR), locais sensíveis cuja exploração requer a adoção de boas práticas agropecuárias e florestais.

Contribuição governamental

O governo sancionou a Lei n. 13.791/2019, que visa fomentar a produção de erva-mate e impulsionar, por meio de incentivos de um projeto do governo estadual, a ampliação de 50 para 200 pequenos produtores rurais no MS.

Se interessou pelo assunto? Aprenda mais com especialistas da área no Summit Agro. Enquanto isso, acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fontes: Embrapa, Famasul, Câmara dos Deputados,  CAPA