O sucesso de empresas rurais passa pela gestão de pessoas

17 de dezembro de 2020 3 mins. de leitura
Jose Erasmo Soares fala da importância de uma propriedade rural ter uma equipe bem treinada para reduzir custos e aumentar o lucro da fazenda

Por Jose Erasmo Soares*

A produtividade agrícola está diretamente ligada à gestão de pessoas em todos os níveis, uma vez que se interliga com a interação humana nas suas diversas atividades do dia a dia.

Desta forma, o relacionamento adequado com colaboradores de uma propriedade agrícola é de extrema importância, não podendo se descuidar da competência, por meio de treinamentos, e desempenho com motivação e reconhecimento profissional.

Nesse contexto, a bonificação por mérito sempre será um fator positivo na atuação do colaborador e pode ser realizada de distintas formas.

Entre os diversos pontos importantes da gestão de pessoas em proporiedades agrícolas, independente do módulo fiscal, destaco a comunicação, o treinamento e o coaching que perfazem um combo de gestão quase que unânime entre as empresas rurais que aderiram a filosofia de gestão de pessoas. 

Tablets e celulares facilitam a comunicação entre a chefia e a equipe de campo (Foto: Getty Images)

COMUNICAÇÃO: Um processo que está mudando rapidamente com o uso da mídia eletrônica. Hoje, as chefias de campo enviam as tarefas para seus colaboradores via telefone celular ou outros aplicativos. Isso agiliza o processo, mas existe um risco grande no entendimento da mensagem. 

No campo, é muito importante que os colaboradores entendam exatamente as orientações e continua sendo essencial que a coordenação se certifique que o objetivo que foi solicitado seja claramente entendido pelo colaborador que executará o trabalho. 

Um mal-entendido da solicitação poderá ser um desastre para o resultado. É importante respeitar a hierarquia dos cargos e a responsabilidade das diversas funções para que a comunicação flua do início ao término das tarefas.

TREINAMENTO: É uma parte importante nas tarefas de uma propriedade rural. Muitas vezes, imagina-se que o treinamento agrícola se limita em falar ao colaborador o que ele deve fazer. Mas, o sucesso está em um treinamento bem feito. 

Por exemplo, operadores de máquinas devem ser orientados por profissionais qualificados no funcionamento delas para que obtenham melhores rendimentos. Um treinamento adequado irá reduzir os custos de manutenção e aumentará a eficiência operacional dos equipamentos.

COACHING: É uma parte muitas vezes negligenciada no meio agrícola, mas é essencial que os colaboradores que exercem cargos de chefia acompanhem inicialmente seus subordinados nas operações de campo e façam as correções necessárias nas atividades. 

Por exemplo, uma máquina de plantio bem regulada e o plantio bem feito podem representar a diferença entre o lucro ou prejuízo. As aplicações de insumos com máquinas bem reguladas poderão reduzir os custos desses insumos significativamente. 

Portanto, a sustentabilidade do negócio em uma propriedade agrícola passa por uma eficiente gestão de pessoas. Com certeza, o desempenho dos colaboradores melhora muito e fica visível o impacto positivo na produtividade e colheita das culturas. O resultado, certamente, será um aumento da lucratividade. 

*Jose Erasmo Soares é engenheiro agrônomo, consultor em agronegócios e membro do CESB**

**CESB é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), que tem por objetivo alavancar a produtividade da soja no Brasil. O comitê é composto por 22 membros e 30 entidades patrocinadoras: Syngenta, Basf, Bayer, Mosaic, Superbac, Jacto, Corteva, Instituto Phytus, Eurochem, Compass Minerals, ATTO Adriana Sementes, Stoller, UPL, Timac Agro, Brasmax, FMC, Stara, Datafarm, Viter, Somar Serviços Agro, Ubyfol, Fortgreen, KWS, Yara, Sumitomo Chemical, Adama, Agrivalle, Seedcorp, FT sementes e IBRA. 

Canal Agro