Embrapa é a marca que tem reputação para comunicar pelo agro brasileiro

9 de junho de 2020 4 mins. de leitura
Especialista em marketing, José Luiz Tejon Megido comenta pesquisa realizada sobre a comunicação do agronegócio no País
Por José Luiz Tejon Megido* O assunto predominante nas discussões de todos os fóruns envolvendo o agronegócio hoje é comunicação. No último encontro do vice-presidente da República Hamilton Mourão com o Cosag na Fiesp, sobre a Amazônia, uma prioridade foi definida como “comunicação social“, desenvolvimento de narrativas dos fatos positivos e conscientizadores sendo fundamentais. Da mesma forma, precisamos disputar nas sociedades urbanas do Brasil e do mundo as percepções dos consumidores finais dos nossos produtos contra a desinformação, fakenews e mesmo participarmos da promoção do agro brasileiro frente aos nossos concorrentes. Uma atividade primordial dentro de qualquer estratégia competitiva de marketing. Mas aí surge o enigma: qual instituição brasileira tem aval de credibilidade e de reputação para assinar campanhas em nome do Brasil, que já não saiam desacreditadas dentro do próprio país e com críticas dos correspondentes estrangeiros desde a origem das suas emissões? Pedimos para a “onglobalstrategy“, uma organização de pesquisa de percepções de marcas da Europa, que pudesse conduzir uma pesquisa a respeito disso aqui no território brasileiro.
Dezesseis marcas foram elencadas nesse estudo que atingiu 62 mil contatos efetivos on-line e 11 mil por telefone, tendo como foco “stakeholders“ os consumidores brasileiros, no período de 15 de março 2020 a 20 de abril de 2020. Ângulos levantados foram: ambiente político – transparência e ética, participação responsável na economia e cultura, adoção de medidas de boa governança e de respeito ao ambiente. Ambiente econômico: ecossistema favorável ao desenvolvimento de negócios, produtos e serviços com qualidade elevada, inovação e avanço tecnológico. Foram analisadas cinco dimensões: 1 – reputação emocional 2 – produtos e serviços 3 – inovação e diferenciação 4 – cidadania e responsabilidade social 5 – governança e liderança Com avaliação de 23 atributos. E a marca que surgiu tendo os melhores indicadores em reputação e credibilidade foi Embrapa. É percebida pelos brasileiros como um “selo“ que confirma o bom desempenho nos diferentes atributos pesquisados. Tem autoridade para falar em nome da marca Brasil do agronegócio. Os patamares atingidos pela Embrapa no estudo ficaram nos mesmos níveis da Unilever, para podermos ter um nível comparativo da sua importância, neste aspecto de força de “brand“. Uma #live no dia 9 de junho, às 18h, reunirá Cléber Soares, diretor de Inovação do Ministério da Agricultura, Rose César, gerente de Marketing da Embrapa, José Antônio Silva, diretor da Onglobalstrategy de Portugal, Eduardo Campanella, vice-presidente de Marketing da Unilever, Camila Soares ,sócia-diretora da Biomarketing, com a nossa participação. O objetivo desse estudo é oferecer ao agro brasileiro que precisa de um planejamento estratégico, bem como um plano de longo prazo de comunicação um emissor idôneo e de reputação. Na fórmula da comunicação, se o emissor não gozar de credibilidade na origem, não importa a mensagem ou a mídia, os resultados da comunicação se revertem ao contrário e negativamente. Dessa forma, a Embrapa é a marca que fala mais alto pelo agro nacional e pode ser utilizada como “brand“, que assina ações de comunicação do Brasil. Obviamente com todas as competências, compliance e ética que são exigidos na gestão das marcas que superam o tempo. #info.npct.com.br/biomarketing
*José Luiz Tejon Megido é doutor em Educação, mestre em Arte, Cultura e Educação pela Universidade Mackenzie; professor de MBA na Audencia Business School, em Nantes, na França; coordenador do Agribusiness Center da FECAP; membro do Conselho da Secretaria de Justiça e Cidadania do Estado de São Paulo, e sócio-diretor da Biomarketin
Gostou? Compartilhe!